Associação de Futebol de Bragança quer aumentar o número de árbitros no distrito

Associação de Futebol de Bragança quer aumentar o número de árbitros no distrito

Apresentar as novas plataformas online de gestão de centros de treino e de e-learing para o nível 1 de arbitragem, foi o que trouxe até Macedo de Cavaleiros Vítor Pereira, o presidente do Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol.

reduzido 3

“O objetivo destes Workshops é fazer a apresentação de duas novas plataformas, uma para a gestão dos centros de treino que são patrocinados pela Federação, num total de 38 do país, 31 de futebol e 7 de futsal, e a plataforma de ensino à distância, em sistema de e-learning de nível 1.

Portanto, vamos fazer a apresentação, os participantes são todos os instrutores de futebol e de futsal, também os coordenadores das comissões técnicas, portanto, basicamente são os instrutores, e são essas pessoas que vão ter a responsabilidade de formar novos árbitros das duas modalidades nestas três regiões. Os Workshops realizam-se durante esta semana e a próxima.”

Nesta sessão juntos técnicos das associações de Bragança, Guarda e Vila Real. A Associação de Bragança tem, neste momento, 72 árbitros, e tem como objetivo estabelecido aumentar esse número ainda esta época, com um curso para o nível 1 já agendado. Vítor Pereira diz ver com os olhos esta intenção, visto que há falta de profissionais em quase todas as 22 associações do país, aos quais se juntam outros problemas que afastam os jovens da carreira.

reduzido 3

“É importante que o número de árbitros no país aumente. Na esmagadora maioria dos distritos há falta de árbitros e raros são aqueles onde isso não acontece. Ao que sabemos, 2 em 22 de distritos, neste momento, não necessitam de árbitros, daí a ser necessário aumentar a sua existência e também o número de adesões para a atividade. Por outro lado, e não menos importante que isso, é necessário reter, ou seja, os jovens que aderem que se retenham e mantenham na atividade, que sejam bem acolhidos, que gostem da organização, que tomem o gosto pelo treino, pelas rotinas, pelo conhecimento que têm dos colegas. Temos um conjunto de iniciativas que visam, justamente, tornar a arbitragem uma atividade interessante e que os árbitros a possam acolher nas suas vidas enquanto uma carreira de futuro, com boa retenção, com a diminuição do abandono precoce que era um dos problemas que tínhamos vindo a constatar.”

E, aumentando o número de árbitros, vai ser possível alcançar outro objetivo, que é colocar um profissional na Primeira Liga Portuguesa, garante António Ramos, presidente da Associação de Futebol Bragança.

reduzido 3

“O que nos falta é número de árbitros, temos poucos e quanto maior for a base de recrutamento de árbitros, mais probabilidade teremos no futuro de conseguir colocar um ou dois como C1 na primeira liga.

Mas nós vamos fazer esse trabalho, vamos trilhar esse caminho, criar as melhores condições possíveis de desenvolvimento da arbitragem e vamos tentar que, a curto e médio prazo, consigamos, pelo menos, colocar um árbitro na primeira liga, o que nunca aconteceu até aos dias de hoje.

Entretanto, não só a direção como o conselho de arbitragem da associação, apoiado por nós, temos como objetivos a criação de outras infraestruturas como o segundo centro de treino que vai ser criado em Mirandela, dar as melhores condições de prática para os árbitros, tentar sensibilizar jovens para entrar na arbitragem e assim, amanhã ou depois, talvez possamos encaminhar alguns desses jovens para os objetivos que nos propusemos.”

E a igualdade de condições para os árbitros transmontanos estão asseguradas, afirma Vítor Pereira, apesar de assumir as elevadas assimetrias.

reduzido 3

“Os árbitros têm rigorosamente as mesmas condições e oportunidades em todas as categorias.

Há medida que vão tendo essas oportunidades vão mostrando o talento, e com um pouco de sorte, depois, com certeza que alcançarão os seus objetivos.

Ter árbitros das associações na primeira liga é um cenário que seria interessante mas difícil. Só há 24 árbitros na categoria Cimeira, há 22 associações mas temos que reconhecer que há assimetrias grandes.”

Quanto aos centros de treino para árbitros no distrito de Bragança, António Ramos disse que, neste momento, aguardam a decisão da autarquia de Bragança para a cedência do Estádio Municipal para o primeiro centro. O segundo, está criado, confirma António Ramos, e vai funcionar no campo de São Pedro de Vale do Conde, em Mirandela.

Escrito por ONDA LIVRE

 

Relacionados

Leave a Reply

css.php