Comissão de Acompanhamento Ambiental do Aproveitamento Hidroelétrico de Foz Tua diz não se rever na decisão das associação ambientalistas

Comissão de Acompanhamento Ambiental do Aproveitamento Hidroelétrico de Foz Tua diz não se rever na decisão das associação ambientalistas

“As demais entidades que compõem a Comissão de Acompanhamento Ambiental do Aproveitamento Hidroelétrico de Foz Tua não se revêm na tomada de posição das Organizações Não Governamentais de Ambiente”, nomeadamente a GEOTA e a Plataforma Salvar o Tua.

Chega hoje a reacção à decisão destas duas entidades de suspenderem a sua participação na Comissão de Acompanhamento Ambiental do Aproveitamento Hidroelétrico de Foz Tua, por entender que esta entidade está a ser conivente com alegadas ilegalidades por parte da EDP.

Num comunicado enviado pela CCDR-Norte, em nome das restantes entidade que compõem esta comissão de acompanhamento, garante-se que todas as decisões têm sido tomadas com “rigor e transparência”.

Sobre o enchimento da albufeira da barragem, que terá sido a “gota de água” para os ambientalistas, por ilegalidades à altura confirmada pela Agência Portuguesa do Ambiente, diz-se no comunicado que foi autorizado por essa mesma entidade, em articulação com as restantes entidades. Já no que toca ao Plano de Mobilidade, também muito falado refere-se que este foi aprovado em fevereiro último, e que está a ter o devido acompanhamento.

Recorde-se que esta comissão é composta, para além da GEOTA e da Plataforma Salvar o Tua, que entretanto cessou a sua participação, por mais dez entidades, entre elas os municípios abrangidos pelo empreendimento hidroeléctrico, como são Alijó, Carrazeda de Ansiães, Mirandela, Murça e Vila Flor.

Escrito por ONDA LIVRE

Relacionados

Leave a Reply

css.php