Hália Cunha – “Pensamento errante”

Hália Cunha – “Pensamento errante”

“Pensamento errante”

Material ou espiritual

espera um conforto

vindo talvez de um ritual

feito num cais do Porto.

Veleiro a zarpar

perdendo-se na distância

que suporta aquele mar

sem o mínimo de ganância.

Pensamento errante

que vais como marinheiro

da solidão és amante

e não do escuro dinheiro.

Portas e porões

se abrem e fecham

tal como os furacões

suas marcas deixam.   ( livro A Mão)

Hália Seixas da Cunha, nascida, em Azurém, Guimarães a 18 de Setembro de 1981. Filha de Maria Helena Costa Seixas e José Carvalho da Silva Cunha. Habilitações literárias: ensino básico e secundário em Amarante. Licenciatura em enfermagem na Escola Superior de Saúde Jean Piaget/ Nordeste (2000/2004). Enfermeira na ULSNE Macedo de Cavaleiros. Residente em Macedo de Cavaleiros, uma bela e acolhedora cidade na qual se enquadra e identifica. Autora do livro “Um Olhar Perdido”, editado em 2013. Tem a enorme satisfação de ter um poema incluído nos volumes IV;V; VI e VII da grande obra “ Entre o Sono e o Sonho - Antologia de Poesia Contemporânea”. Contra tudo e contra os ventos de contra correntes apresenta mais um espelho de alma.

Relacionados

Comentar

css.php