Linha férrea transformada em ecopista em Macedo é “um complemento” aos planos para o concelho

Linha férrea transformada em ecopista em Macedo é “um complemento” aos planos para o concelho

Sobre a pretensão de transformar a Linha do Tua numa ecopista, um projeto que está a unir os municípios de Macedo de Cavaleiros, Mirandela e Bragança, Duarte Moreno, o autarca macedense, considera que se trata de um complemento. Uma ligação  que se vem juntar aos projetos já apresentados em Macedo.

reduzido 3

“Tudo é um complemento. Nos 3 concelhos, ficamos com 74 quilómetros de ecopista, que se poderá estender ao norte de Espanha, e ficarmos com uma rede completa para toda a Europa.

Também se complementa com o projeto da Câmara Municipal, na mobilidade suave, que estamos a implementar e a elaborar projetos para submeter no próximo mês.

Esta ciclovia chega como uma forma de suprir algumas deficiência para quem gosta de praticar este tipo de desporto.”

A candidatura que agora está a ser preparada, ao Programa Valorizar, que destina 10 milhões de euros ao desenvolvimento do turismo no interior do país, incluiu uma negociação do edificado, onde se incluiu também, por exemplo, a estação ferroviária da sede de concelho. Para já, sabe-se que as construções inerentes ao espaço canal devem passar para alçada das autarquias, sem se adiantar se essa transação vai ou não envolver compras.

reduzido 3

“Em termos do edificado, vai existir um protocolo, que vai passá-lo para a responsabilidade das autarquias. Depois, dependente do negócio que se possa fazer aí, ou se paga, ou não.

Daquilo que temos em mente, para o edificado, e se conseguirmos apoios financeiros para os realizar, são sempre atividades ligadas à autarquia e a associações que se possam instalar.

Ainda não temos nada de concreto, mas de qualquer forma fica a transferência de propriedade feita, para que depois a Câmara, quando necessitar, possa fazer uso no imediato.”

Duarte Moreno lembra que, apesar de os três municípios estarem a remar para o mesmo lado, cada um deles terá um projeto próprio, adequado às necessidades de cada um.

reduzido 3

“Fomos em conjunto para termos mais força. Mas cada um vai fazer o seu próprio protocolo, dos troços que cada um tem nos seus territórios, mostrando-lhe os constrangimentos que cada um tem nos diversos espaços canal, para que possam ser resolvidos, sem que ficam ao encargos das Câmaras Municipais.

Faz-se um acordo tripartido para darmos força ao projeto. Vai ser candidatado a um programa chamado Valorizar, para o interior. Aos seremos 3 com o mesmo projeto, a pontuação é maior.”

Este foi um dos assuntos debatidos na última reunião de câmara, desta terça-feira. Rui Vaz, vereador do PS, deixou uma sugestão – ativar a linha férrea, para fins turísticos, e construir a ecopista em paralelo.

reduzido 3

“O que deixei à Câmara foi a possibilidade, agora que se está em tempo, antes de se implementar a ciclovia, se pudesse chegar a um entendimento entre as 3 câmaras e o operador, no momento, Mário Ferreira, para se poder avançar nesse sentido. Simultaneamente à ciclovia, se pudesse fazer a exploração turística da antiga linha férrea, com um comboio turístico.”

Turisticamente, considera o vereador, seria mais rentável.

reduzido 3

“Seria extraordinário, digo com toda a franqueza. Porque poderíamos ter aqui uma exploração de um novo canal turístico, do Tua a Bragança, com o Azibo e a Serra de Bornes pelo meio.

Acho que era fantástico, e oxalá consigam chegar a esse entendimento.”

Para que a candidatura possa avançar, falta o aval da Infraestruturas de Portugal, empresa do estado responsável por este setor.

Escrito por ONDA LIVRE

Relacionados

Comentar

css.php