Fase Bravo: Posto de vigia já estão a funcionar

Fase Bravo: Posto de vigia já estão a funcionar

A 15 deste mês, começou a fase bravo de combate a incêndios, que se prolonga até dia 30 de junho. O que significa que também iniciaram os postos de vigia florestais. Há 3 ativos no distrito de Bragança, e a jornalista Tânia Rei foi conhecer um deles, na Serra de Bornes, em Macedo de Cavaleiros.

reduzido 3

A rotina de Benjamim Camelo é, por estes dias, tomar conta do posto de vigia na Serra de Bornes.

Depende dos anos, e principalmente do clima, mas Benjamim já desempenha esta tarefa há anos suficientes para saber que maio e junho. “A nossa função é estar atentos à primeira coluna de fumo que virmos, tiramos o ângulo no azimute e comunicamos por MF (frequência de rádio)”, explica Benjamim Camelo no alto do posto de vigia.

Neste momento, estão ativos três postos de vigia no distrito de Bragança. A  Bornes, no concelho de Macedo de Cavaleiros, juntam-se a Coroa, em Vinhais, e Montesinho, em Bragança. Começaram a funcionar dia 15 deste mês, aquando o início da fase Bravo, e são depois reforçados a 1 de julho, conforme explica o capitão da GNR, Vítor Romualdo: “Na rede primária, neste período entre 15 de maio e 30 de junho, só temos três postos de vigia a funcionar. Na rede secundária, que inicia no período crítico, de 1 de julho até 30 de setembro, teremos onze posto no total no distrito a desempenhar a mesma função, de vigilância da nossa floresta”.

O mês de abril foi atípico em termos de ignições. A GNR suspeita que a realização de queimas e queimadas sem os devidos cuidados pode ser a causa do problema. Vítor Romualdo recomenda que “caso estejam reunidas as condições legais para a realização de queimas” se tomem as devidas precauções, “efectuando pequenos amontoados, devidamente afastados com uma faixa de terreno limpo à sua volta”. O capitão lembra também que se devem escolher dias “nublados, húmidos e com pouco vento, abaixo do demorado”. Além disto, é aconselhado “levar um telemóvel, para dar o alerta” caso necessário, e ficar vigilante até à completa extinção” do fogo.

“Sabemos que a atividade do fogo faz parte da atividade agrícola, com a queima de sobrantes”, acrescenta Paulo Silva, da Proteção Civil Municipal de Macedo de Cavaleiros, “até para evitar incêndios florestais”. Por isso, neste período em que ainda é permitido realizar queimas de sobrantes agrícolas e florestais, o engenheiro florestal lembra que se devem escolher “queimar de manhã cedo, e em dias com as temperaturas mais baixas”,

E se estas condições mínimas não estiverem reunidas, não arrisque e guarde o recurso ao fogo para Setembro.

 

Alguns conselhos nesta fase Bravo de combate a fogos florestais, na qual já há 3 postos de vigia instalados os 3 concelhos diferentes do distrito de Bragança.

 Para já, os postos contratados pelo SEPNA, da GNR, efectuam vigias de 8 horas diárias. Durante a fase crítica, de 1 de julho a 30 de Setembro, passam a ser feitas em turnos de 24 horas.

Escrito por ONDA LIVRE

Relacionados

Comentar

css.php