Politécnico de Bragança regista crescimento na procura por parte dos alunos

Politécnico de Bragança regista crescimento na procura por parte dos alunos

O Instituto Politécnico de Bragança foi a instituição de ensino superior que mais cresceu no número de alunos colocados na primeira fase do concurso nacional de acesso.

Os resultados foram conhecidos este domingo e entraram nas 5 escolas do IPB, 711 alunos o que representa um crescimento de 35 por cento em relação ao ano anterior na mesma fase, o que deixa satisfeito o presidente do politécnico, Sobrinho Teixeira:

icon 2_reduzido

“Houve um aumento em praticamente todas as inscrições pelo país, mas o nosso Instituto foi aquele que mais cresceu e que maior incremento teve no número de alunos.

Em algumas instituições houve diminuição de alunos mas o aumento foi mais ou menos geral. O IPB foi o que mais cresceu a nível percentual.

Estamos muito satisfeitos, como é óbvio. Um incremento de 35% e para a 2ª fase as perspectivas também são muito boas. “

O presidente do instituto considera que os motivos para este crescimento se prendem com os resultados dos rankings mas também com a qualidade de vida em Bragança e Mirandela e, por isso, apela a que este factor diferenciador seja mantido:

icon 2_reduzido

“A qualidade da instituição é repercutida nos rankings, e a qualidade e custo de vida também são importantes.

Temos de manter estes três pilares para continuar a poder ter o crescimento que sustentamos para os próximos anos. 

O meu apelo é para se manter essa mesma relação  de qualidade e custo de vida para que possamos a poder crescer no futuro.

Se, de facto, um destes pilares básicos, sobre os quais estamos a construir um crescimento sólido da nossa instituição, falhar, é evidente que no futuro podemos ter uma repercussão negativa.”

A escola que mais cresceu em termos de procura de número de alunos foi a Escola Superior de Administração Comunicação e Turismo, em Mirandela, com um aumento na ordem dos 50%, segundo o presidente.

O pólo viu serem preenchidas cerca de 55 por cento das vagas colocadas na primeira fase do concurso nacional de acesso ao ensino superior.
Um aumento de quase 20 por cento, comparativamente ao que tinha acontecido, em 2016. O curso de solicitadoria continua a ser o mais procurado e, tal como no ano passado, ficou com 100 por cento das vagas preenchidas. No campo oposto, está o curso de informática e comunicações, que não viu preencher qualquer vaga.

icon 2_reduzido

 

“Na prática, a ESACT de Mirandela assegura, logo na primeira fase, 203 novos
alunos, mais 73 que em 2016. Se o ano passado, foram preenchidas 36 por cento
das vagas colocadas na primeira fase, este ano a percentagem aumentou para
54,9 por cento. Das 370 vagas colocadas a concurso, para os oito cursos lecionados, a ESACT de Mirandela viu serem preenchidas 203, sobrando 167 para as próximas duas
fases.
O curso de Solicitadoria foi, de longe, o mais procurado, ficando já sem qualquer
vaga para as próximas duas fases. As 54 vagas colocadas a concurso, nesta
primeira fase, já foram preenchidas. No outro extremo ficou, com o pior desempenho, o curso de Informática e

Comunicações, que, tal como no ano passado, não viu ser preenchida qualquer
vaga, sobrando as 30 disponíveis para a próxima fase. Bom desempenho para o curso de marketing, que preencheu 34 das 36 vagas colocadas. Design de jogos digitais, das 60 vagas, preencheu 48, enquanto Turismo ficou pelos 50 por cento, com 25 das 50 vagas preenchidas.
Multimédia vai ter 40 vagas sobrantes, já que, das 60, apenas 20 foram preenchidas. Gestão e Administração Pública tinha 55 vagas, nesta primeira fase, preencheu apenas 17, sobram 38. Finalmente, tecnologias da comunicação tinha 25 vagas, foram preenchidas apenas cinco.
Para já, a ESACT de Mirandela garante, na primeira fase, 203 novos alunos,
sobrando para a as restantes duas fases, 167 vagas.”

Um aumento de quase 20 por cento, comparativamente ao que tinha acontecido em 2016. No total, o IPB disponibilizou cerca de 1900 vagas, estando ainda por preencher cerca de 1200.

Este é o primeiro ano que há um crescimento da procura deste politécnico na primeira fase desde 2010.

Já em Vila Real, na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) apenas 155 vagas sobraram das 1375 que a instituição de ensino superior tinha disponíveis para a primeira fase de acesso. A academia transmontana preencheu quase na totalidade os lugares disponíveis, salvaguardando que há sempre um número indeterminado de alunos que acaba por não oficializar a matrícula, o que significa mais vagas para a segunda fase de acesso O curso com nota de entrada mais elevada foi medicina veterinária, com o último colocado a se cifrar nos 16,6 valores. Na margem oposta está o curso de Ciências do Ambiente, com a nota do último candidato a se ficar pelos 98,5. O curso de engenharia civil foi o único que não conseguiu ocupar nenhuma vaga. As matrículas para os novos alunos decorrem a partir de hoje.

INFORMAÇÃO CIR (Rádio Brigantia, Terra Quente FM, Universidade FM)

Relacionados

Comentar

css.php