Agentes da autoridade acusados de cumplicidade em caso de prostituição

Agentes da autoridade acusados de cumplicidade em caso de prostituição

Dois militares da GNR de Vila Real foram acusados ontem pelo Ministério Público por avisarem  sobre as ações de fiscalização o proprietário de um estabelecimento comercial onde se praticava prostituição, a troco de dinheiro.

Segundo a página oficial da Procuradoria Geral distrital do Porto os militares da GNR mantinham os donos do estabelecimento comercial noturno informados sobre a fiscalização que fossem feitas quer no referido estabelecimento quer das ações rodoviárias nas proximidades e que pudessem afetar os seus clientes.

Este é o culminar de uma investigação que começou em janeiro de 2012 e decorreu até janeiro deste ano, sobre a exploração de prostituição por quatro indivíduos, que foram também constituídos arguidos por lenocínio, que utilizavam sobretudo mulheres brasileiras em situação ilegal no nosso país.

Além dos dois militares da GNR de Vila Real o Ministério Público acusou mais quatro indivíduos pelos crimes de lenocínio, auxilio à imigração ilegal, recebimento indevido de vantagem e corrupção ativa e passiva.

INFORMAÇÃO CIR (Universidade FM)

Relacionados

Comentar

css.php