Duarte Moreno dá resposta sobre a dívida do município

Duarte Moreno dá resposta sobre a dívida do município

Duarte Moreno, atual vereador da oposição e ex-autarca macedense, responde às últimas notícias que dão conta de uma dívida avultada deixada pelo seu executivo e que, segundo o atual presidente, Benjamim Rodrigues, podem mesmo alcançar os 18 milhões de euros.

Na reunião de câmara desta quinta-feira, o vereador começou por frisar que “estas dívidas a que se refere estavam evidenciadas nas contas de 2016, o que me apraz afirmar a desatenção à análise do documento”, cita. Duarte Moreno levantou ainda outra questão, desta vez sobre declarações dadas pelo atual vice-presidente Pedro Mascarenhas, a um órgão de comunicação social da região, onde, este último, ter-se-á referido a um “empréstimo de 5,7 milhões de euros com um período de carência que vai terminar no final do ano” referindo-se à empresa Águas do Norte. O ex-autarca esclarece que “5 milhões do que fala não são um empréstimo mas sim um acordo de pagamentos feito com as Águas do Norte ao abrigo da legislação em vigor (…) posteriormente as Águas do Norte cederam a sua posição no acordo a uma instituição financeira a que o município é alheio.”

Ainda sobre a dívida a esta empresa, Duarte Moreno foi mais longe ao dizer que esta é uma questão que se arrasta desde 2001, altura em foi estabelecido o contrato com as Águas de Portugal, e que, cita o ex-presidente, “com a indefinição dos sucessivos governos em estabelecer um preço que estivesse de acordo com os vários municípios intervenientes para a aquisição de cada metro cúbico vendido em alta.(…) deixou todos os municípios numa indefinição o que levou ao não pagamento da água recebida em alta por diversos anos, conduzindo-os, assim, a um sucessivo acumular de dívida.”.

Quanto à empresa Resíduos do Nordeste, o vereador diz que, até à data, o plano de pagamento estaria a ser cumprido religiosamente.

O ex-autarca disse ainda que em setembro de 2013, altura em que tomou posse, a dívida do município encontrava-se num valor de 20,5 milhões de euros, dos quais durante o seu mandado foram reduzidos 3,7 milhões, sendo esta, em setembro do presente ano, correspondente a 16,8 milhões, redução esta que o atual presidente, Benjamim Rodrigues, felicitou na mesma reunião.

Escrito por ONDA LIVRE

Relacionados

Comentar

css.php