Hospitais públicos que realizem cesarianas acima do permitido vão ser penalizados

Hospitais públicos que realizem cesarianas acima do permitido vão ser penalizados

O governo anunciou que vai penalizar a nível financeiro os hospitais públicos que realizam mais cesarianas e a Unidade Local de Saúde do Nordeste é a segunda no país com maior taxa de intervenções deste tipo e que está acima do limite estabelecido, no entanto, a administração acredita que a medida não vai ter efeitos no orçamento da ULS.

Olga Telo Cordeiro

“Os hospitais públicos com cesarianas acima dos limites vão sofrer penalizações financeiras e a Unidade Local de Saúde do Nordeste é a segunda em que são realizadas mais cesarianas com 38% entre os partos realizados sendo ultrapassada apenas pela ULS da Guarda com 41%. A organização Mundial de Saúde recomenda que o número de partos com recurso à prática de cesariana não exceda os 15%, no entanto o Governo Português decidiu fixar o limite nos 30%. Apesar das penalizações anunciadas a administração da ULS Nordeste acredita que não deverá sofrer qualquer limitação orçamental apesar de ultrapassar esse valor porque o modelo de financiamento não é o mesmo dos grandes hospitais. Em comunicado a administração garante que o número de cesarianas tem mesmo vindo a diminuir nos últimos anos e que as terminações governamentais estão a ser respeitadas. Segundo dados do portal da transparência do Serviço Nacional de Saúde um 1/4 das 36 unidades públicas de saúde excede o limite de 30% de cesarianas.”

O número excessivo de cesarianas levou o Governo a traçar um limite nos 30% e a prometer sanções no orçamento das instituições.

INFORMAÇÃO CIR (Rádio Brigantia)

Relacionados

Comentar

css.php