GNR percorre aldeias para alertar os mais idosos sobre a vaga de frio

GNR percorre aldeias para alertar os mais idosos sobre a vaga de frio

A Guarda Nacional Republicana reforça os conselhos e sensibiliza os mais idosos para as baixas temperaturas que se fazem sentir no Interior Norte.

Porta a porta visitam os habitantes das aldeias mais desertificadas que são muitas vezes os mais afetados pelo arrefecimento do tempo.

A Onda Livre acompanhou uma ação de sensibilização no concelho de Macedo, onde os idosos dizem que o frio já não os assusta e que por estes dias deitam mais lenha na fogueira mas que já estão habituados às temperaturas negativas.

“Não tenho medo ao frio, já estou habituada. Já nasci aqui, já não tenho frio. Nestes dias ponho mais lenha mas o agasalho é sempre o mesmo. Lenha a que puder pôr ponho, porque aquecimento não tenho mais nenhum, só a lareira.

Vejo-me bem com o frio, tenho muito com o que me aquecer Graças a Deus. Temos bons edredons de aquecimento, não há problema. 
Nós por aqui não temos medo ao frio, já estamos habituados a este tempo e também andamos bem agasalhados. Nos últimos dias esteve mais frio, muito gelo. Com a lareira e as braseiras temos cuidado, bastante até. 
Já vou fazer 93 anos mas  vejo-me bem com o frio, não tenho medo. 
As pessoas do Norte são rijas.” 

 

Vários militares da GNR procuram alertar os mais velhos para os perigos não só do frio, como também das fontes de calor que são propícias a acidentes explica o Alferes Edgar Mazeda.

“A GNR está a desenvolver um conjunto de ações especialmente direcionadas para os idosos que vivem sozinhos e estão mais vulneráveis com o objetivo de os sensibilizar para as questões do frio. Temos um conjunto de militares que percorrem as diversas aldeias do Distrito de Bragança com o objetivo de sensibilizar as pessoas para os perigos que advêm do uso de aparelhos com calor, térmicos e para os perigos do próprio frio. Para além disso, os militares procuram também identificar quais são as principais situações vulneráveis reportando as mesmas para as entidades competentes.” 

 

Aconselham-se cuidados  e medidas de precaução redobradas dentro e fora das habitações, reforça ainda o Alferes.

“Alertar para que as pessoas mantenham as suas casas ventiladas para que isso impeça a acumulação de gases tóxicos; ingerir comidas e bebidas quentes e evitar a ingestão de bebidas alcoólicas. O uso de diversas camadas de roupa e também ter especial atenção para não secar a mesma junto a aquecedores, lareiras e não dormir ou descansar nas proximidades das lareiras e também para proteger as próprias para que não se tornem um foco de incêndio.”  

Cerca de 16 idosos vivem sozinhos e isolados estando sinalizados pela GNR como casos de especial atenção nas vagas de maior frio.

 

Escrito por ONDA LIVRE 

Relacionados

Comentar

css.php