Alunos estão sem aulas de História há mais de dois meses em Macedo em ano de Exame Nacional

Alunos estão sem aulas de História há mais de dois meses em Macedo em ano de Exame Nacional

16 alunos do 12º ano de Humanidades da Escola Básica e Secundária de Macedo de Cavaleiros estão sem professor de história há mais de dois meses, em pleno ano letivo em que terão de realizar o exame nacional da disciplina.

A CIR chegou à fala com um encarregado de educação, que embora não queira ser identificado, denuncia a situação e dá voz a preocupação dos restantes.

“Há dois meses que estão sem professora de História e o Diretor não lhes diz grande coisa. São alunos de 12º ano e têm exame nacional de História no final do ano. Pronto, é uma situação que acho vergonhosa para a escola e acho que o Diretor não se está a importar muito com isso. Sei que os miúdos já falaram com ele a resposta que lhes deu foi que já tinha contactado alguns professores que também meteram baixa e outros que se recusam a vir por serem professores de longe e também não lhe compensa vir só por um mês.”

Uma ausência de professor que os encarregados de educação têm tentado contornar com aulas de explicação, pagas do próprio bolso.

“Já falei com algumas mães de alguns alunos que eu conheço, não com todas, mas como algumas e disseram que também não estão a gostar dessa situação. Este é o último ano dos miúdos e é claro que a queremos que eles vão para a frente.

O problema é que, não tendo aulas nós, encarregados de educação, temos de pagar explicações fora da escola, e não temos ordenados assim tão grandes para poder estar a pagar explicação aos miúdos que também não é barata.”

Contactado o Diretor do Agrupamento de Escolas de Macedo de Cavaleiros, Paulo Dias, não quis prestar declarações gravadas mas esclareceu que desde o dia 8 de janeiro que a Direção da escola tem movido esforços para recolocar um professor para aquela disciplina, porém, por questões de baixa médica ou recusas dos próprios docentes, ainda não foi possível.

O ponto de situação foi ontem apresentado em reunião aos encarregados de educação, na qual Paulo Dias adiantou ainda que as aulas não dadas durante estes cerca de dois meses serão depois compensadas no 3º período, altura em que esperam ter a situação de falta de professor resolvida.

Além dos estudantes de Humanidades do 12º ano, há mais turmas, de outros anos, que estão privados das aulas de História, num total de cerca de 60 alunos.

Escrito por ONDA LIVRE

Relacionados

Comentar