CERCIMAC avança com projeto-piloto para apoiar pessoas com demência

CERCIMAC avança com projeto-piloto para apoiar pessoas com demência

A CERCI de Macedo de Cavaleiros está a trabalhar num projeto-piloto a nível nacional para apoio ao domicílio e em permanência de pessoas com demência.

Uma valência que faz falta no distrito que a CERCIMAC quer desta forma implementar, avança Luísa Garcia, presidente da instituição.

“Neste momento a CERCIMAC tem quatro respostas no distrito. As doenças mentais, nomeadamente as demências, ainda são uma das carências de resposta na região.

Sendo essa uma necessidade urgente, nós avançamos com um projeto, no âmbito das iniciativas do Centro de Apoio à Vida Independente, os intitulados CAVI. Trata-se de uma ideia piloto, na qual as pessoas não vão para o lar da Cerci, mas sim somos nós quem vai ao local onde essas pessoas estão.

Quando falamos em demências estamos a falar em todo o tipo de problemas mentais, como é exemplo também a doença de Alzheimer.

Mas o projeto vai um pouco mais longe. Além de termos técnicos especializados, vai contar com pessoas que vão apoiar esses utentes no dia a dia, com um acompanhamento em permanência, preparando-os para uma vida independente dentro das limitações que têm.”

O projeto vai agora ser candidatado a fundos comunitários no âmbito do programa Portugal 2020, e, se for aprovado, vai beneficiar 20 pessoas.

“Este projeto vai beneficiar 20 pessoas já sinalizadas. Esta é uma valência que é mesmo precisa para o concelho.

Temos até ao fim do mês de maio para apresentar a candidatura, há uma série de investimento que não são ilegíveis por ela e, por isso, vamos ter de ser nós a fazê-los.”

 

E quem quiser ajudar a instituição a angariar fundos para suportar estas e outras despesas, pode fazê-lo já este mês de abril no preenchimento da declaração do IRS, como explica ainda a presidente.

“Ao preencher a declaração do IRS do Modelo 3 no quatro 11 e no campo 1101 podem pôr o contribuinte da CERCIMAC que é o 507 149 815 e isso beneficia a instituição com 0,5% do valor que é descontado, sendo depois esse dado pelo Governo à Cerci.

Ao fazê-lo, ninguém perde ou desconta mais por isso, quem atribui o dinheiro é o Governo e não interfere com aquilo que descontamos ou vamos receber depois.”

Este é o 3º ano que a CERCIMAC beneficia desta ajuda dos contribuintes, que tem vindo a crescer desde o primeiro ano, tendo em 2017 totalizado um apoio de cerca de 4 mil euros revertidos para aquela instituição de apoio a cidadãos inadaptados.

Escrito por ONDA LIVRE

Relacionados

Comentar