“Aldeia Segura, Pessoas Seguras” promove a autodefesa nas aldeias

“Aldeia Segura, Pessoas Seguras” promove a autodefesa nas aldeias

O programa nacional “Aldeia Segura, Pessoas Seguras” vai começar hoje a ser implementado nas aldeias do distrito de Bragança.

Trata-se de um conjunto de medidas que visam dotar as populações com meios de autoproteção nos 189 municípios do país com maior risco de incêndio, como explica João Noel Afonso, Comandante Distrital de Operações de Socorro de Bragança:

“Depois de toda a preparação, que passa por identificar os locais de refugio e os de abrigo, será feito um exercício no local com a população onde vai ser dado a perceber às pessoas aquilo que terão de fazer e, sobretudo, o que não podem fazer numa situação de eminência ou decurso de um incêndio florestal. Essas medidas passam pela evacuação e encaminhamento para os locais de refugio ou abrigo que estarão previamente sinalizados, é definido o sistema de aviso à população que pode ser, por exemplo, o tocar do sino a rebate e a colocação de sinalética para identificar não só os locais de abrigo e refugio, mas também as rotas de evacuação.”

Em cada aldeia será escolhido um oficial de segurança, que assume a responsabilidade de alertar os habitantes em caso de perigo.

Um novo conceito que tem sido bem aceite pela população, reforça o Comandante Distrital:

“Penso que sim. Este é um novo conceito e, infelizmente, depois do ano dramático que foi 2017, há necessidade de promover esta autoproteção das nossas populações.

As ações que estão a iniciar agora tem mostrado que as pessoas interagem e interiorizam esse conceito.”

Ontem o projeto foi apresentado aos presidentes de junta de freguesia do concelho de Macedo de Cavaleiros.

Uma forma de mudar mentalidades, considera Pedro Mascarenhas, vice-presidente do município e responsável pelo pelouro da Proteção Civil.

“Este programa é essencialmente de mudança de mentalidades e essa mudança faz-se ao longo dos anos, prolongando-se para o resto das nossas vidas.

É importante sabermos que só em comunidade podemos implementar uma defesa comunitária e minimizar os riscos e consequências das catástrofes.”

Depois de apresentado em todo o distrito, seguem-se os exercícios com as populações no terreno, promovidos pela Proteção Civil Distrital e os municípios, e o primeiro acontece hoje na aldeia de Gestosa, Vinhais.

Escrito por ONDA LIVRE

Relacionados

Comentar