Campeões Distritais de Futsal recebem a taça em festa

Campeões Distritais de Futsal recebem a taça em festa

Já foi entregue o troféu de Campeão Distrital de Futsal ao Grupo Desportivo Macedense.

Depois de um jogo amigável contra o Vila Flor, em Macedo de Cavaleiros, a taça foi entregue por Benjamim Rodrigues, autarca Macedense, que deixa saber a vontade do Município em apoiar o clube na subida de divisão.

“Temos que ter consciência, e tenho constatado uma série de realidades pelo País fora de que os clubes desportivos têm que trabalhar muito na angariação de fundos. Sabemos que há uma dinâmica grande pelo País, eu próprio fui um Dirigente Desportivo e sabia como deviam ser angariados esses fundos. Não podemos desperdiçar as capacidades das instituições e das empresas do concelho e obviamente nós, Município, estamos para apoiar e teremos que reforçar verbas. Temos consciência dessa realidade mas o Macedense também sabe das nossas dificuldades.” 

 

Erguida pelas mãos de Vítor Costa, capitão de equipa, a conquista da taça era um dos grandes objetivos da equipa, admite.

“Traçamos este objetivo, sermos campeões e fazermos a dobradinha. Conseguimos e sábado temos outra final que pretendemos ganhar. O que queremos é ganhar as três taças.
Ainda não pensamos na próxima etapa, porque ainda temos outra taça para disputar. Depois, é que pensamos no futuro do GDM. Os jogadores vão e vêm, o que importa são os adeptos que mais uma vez estiveram aqui para nos dar força.
Sabemos que vai ser um futuro difícil, ainda não sabemos como vão ser sorteadas as equipas na Série A; a nível de jogadores ainda não se pode falar, só no final da época. A partir daí sim, vai começar a desenhar-se o futuro do clube.”  

 

António Aires, treinador do GDM, realça que o clube merece todo este reconhecimento mas não levanta ainda o véu sobre o seu futuro no Macedense para a próxima época.

“É um troféu que tem muitas horas, muitas lágrimas, alguns sorrisos também, mas tem muitos quilómetros. Estamos a falar de mais de uma centena de treinos, com todas as contrariedades que tivemos. É justo e merecedor, ao fim de 25 jogos perdermos uma vez, empatar duas e depois decidir outra na marcação de grandes penalidades, acho que é o reflexo de um grupo de trabalho e é merecedor de toda esta gente que aqui está. 
Tenho sábado uma taça para conquistar, depois de sábado é que vou pensar em muitas coisas.”  

 

Da Associação de Futebol de Bragança esteve presente António Ramos, presidente, que admite terem existido condicionantes que não permitiram a entrega da taça mais cedo.

“Houve condicionantes que nos levaram a que a entrega fosse desta forma. Entretanto nós devemos realçar é o contributo que ambas as equipas finalistas deram ao Futsal Distrital. Um foi um digno vencedor e o outro foi um digno vencido. Acho que a área e a classe dirigente deve olhar para estes momentos e refletir sobre o que se tem passado no Futsal Distrital e que, num futuro próximo, sejam salvaguardadas todas as questões em relação a estas intrigas que há entre as equipas.” 

 

Este fim-de-semana, o GDM disputa ainda a Taça Transmontana com o Grupo Desportivo e Cultural de Salto, em Vila Flor.

 

Escrito por ONDA LIVRE 

Relacionados

Comentar