Começa amanhã a 36ª edição da Festa da Cereja em Alfândega da Fé

Começa amanhã a 36ª edição da Festa da Cereja em Alfândega da Fé

De sexta a domingo Alfândega da Fé promove pelo 36º ano mais uma edição da Festa da Cereja.

Um evento que este ano pretende dar mais destaque aos empresários locais e à apresentação de novos produtos, como refere o vice-presidente daquele município, Eduardo Tavares.

“A Festa da Cereja é um dos marcos principais da região de Trás-os-Montes e também uma mostra dos produtos locais e regionais do concelho de Alfândega da Fé e da região. Este ano queremos dar ainda mais ênfase e visibilidade a estes produtos, às atividades, à gastronomia e vamos inaugurar um novo modelo de apresentação dessas atividades. Vamos contar com produtores que nunca estiveram presentes, novas empresas que estão a trabalhar no concelho e também teremos a apresentação de novos produtos de alguns empresários.”

 

Quanto à cereja, que este ano está atrasada e sofreu uma quebra na produção em relação a anos anteriores, o vice-presidente garante que não vai faltar na festa e que a qualidade está garantida.

“Temos algum atraso na maturação do fruto mas isso não é sinónimo de perda de qualidade, antes pelo contrário. A cereja este ano está com uma qualidade excelente, muito doce e com bom calibre. Em termos de quantidade é um ano razoável.
Temos um conjunto de novos produtores que está a aparecer e por isso vamos ter seis produtores presentes na Festa da Cereja com quantidade e qualidade para termos boa cereja durante o certame. Estamos a implementar algumas regras, nomeadamente a obrigação de estes vendedores de cereja pertencerem à zona geográfica que nós candidatamos para a IGP (Identificação Geográfica Protegida) com a designação de Cereja de Alfândega da Fé.” 

 

A preencher o recinto vão estar cerca de 100 expositores, dos quais 30 vão estar distribuídos por cinco zonas temáticas de destaque para os produtos e empresas oriundos daquele município.

Um evento que representa um investimento de cerca de 150 mil euros por parte da autarquia, mas que traz retorno económico ao concelho, sublinha Eduardo Tavares.

“É uma festa importante em termos económicos porque de forma direta e indireta faz funcionar e vai deixar um legado para os próximos meses e anos. É evidente que o dinheiro que o Município investe neste certame tem também esse retorno porque nesses dias temos todo o setor do turismo em pleno, as casas lotadas e também os restaurantes locais.”

 

O vice-presidente espera que este ano o certame consiga atrair ainda mais visitantes do que na edição do ano passado, pela qual passaram entre 15 a 20 mil pessoas.

Do cartaz destaque para a animação musical que amanhã (sexta-feira) ficará a cargo de Virgul, sábado Carminho e domingo Ruizinho de Penacova. O certame vai contar ainda com várias oficinas de arte, lançamento de novos produtos e showcookings, entre outras atividades.

 

Escrito por ONDA LIVRE 

Relacionados