CIM-TTM reivindica conclusão de infraestruturas rodoviárias, como o IP2 e o IC5

CIM-TTM reivindica conclusão de infraestruturas rodoviárias, como o IP2 e o IC5

A Comunidade Intermunicipal Terras de Trás-os-Montes (CIM-TTM) vai elaborar um Plano Estratégico que pretende estabelecer as grandes orientações de investimento para o território de intervenção como destaca Artur Nunes, Presidente da CIM.

“A elaboração de um plano estratégico visa estabelecer as grandes orientações de investimento para o futuro das Terras de Trás-os-Montes, tendo em atenção, não só o caráter local mas também um caráter mais regional e internacional no sentido de encontrar aqui perspectivas futuras para os próximos 10/20 anos para o desenvolvimento destas terras.”

Para o Programa Nacional da Política de Ordenamento do Território – o PNPOT, Artur Nunes em conjunto com os autarcas desta CIM reivindicam vários investimentos que consideram prioritários para estancar a desertificação do interior.

“O mais importante é construir um documento que seja uma base de reivindicações de todos os Municípios para ligação. É necessário terminar rodovias, a nível ferroviário é essencial fazer uma ligação entre Litoral e Interior e é também importante não esquecer  o Aeroporto e os dois Aeródromos que temos aqui em Terras de Trás-os-Montes. É uma necessidade a construção de um modelo de ordenamento do território para toda esta região.” 

As reivindicações passam pela conclusão das infraestruturas rodoviárias, como o IP2, o IC5, a ligação a Espanha, uma linha ferroviária entre o Porto de Leixões e Zamora e melhorias nos aeródromos de Mirandela e Mogadouro. São as propostas de alteração ao PNPOT, documento orientador das estratégias de desenvolvimento territorial, até 2030, que está em discussão pública, até amanhã.

INFORMAÇÃO CIR (Rádio Brigantia)  

Relacionados

Comentar