Datas das feiras mensais de Macedo vão outra vez a votos

Datas das feiras mensais de Macedo vão outra vez a votos

Cerca de três meses depois de terem entrado em vigor as alterações que reduziram o número de feiras de três para duas, a acontecer sempre às quartas-feiras da 2ª e da 4ª semanas de cada mês, as opções voltam a estar em cima da mesa e o regresso às antigas datas não está fora das hipóteses:

“1) Discordei e continuo a discordar, deviam ser noutros moldes, mas nunca reduzir no número de dias. Moro em Macedo e são feiras que não me dão prejuízo. Se estiver mau tempo, e se for noutro local, tenho que vir para casa sem lucro, ao contrário de que quando são cá, posso não ter lucro mas também não tenho prejuízo.

2) Concordava com a feira como estava porque quando há outras feiras perto, opto sempre pela de Macedo, estou em casa, não vou gastar gasóleo. Acho que os dias antigos são os melhores, ao invés desta data. Chega a haver alturas em que chegamos a estar 20 dias sem feira; mesmo para o comércio é mau. Desde que alterou a data vem muito menos gente. Trabalhamos com pessoas de idade, se os dias forem os de antes, já sabem, e por isso acabam por aparecer.” 

 

José Pinto e Manuel Fernandes são dois dos feirantes macedenses que ontem estiveram na reunião convocada pela autarquia para ouvir a opinião dos intervenientes sobre a atual situação das feiras.

Por sua vez, Domingos Granjo, que também é feirante, concorda que as datas em vigor devem manter-se, até porque o problema das feiras não são os dias, mas sim a falta de gente no concelho, considera:

“Concordei e votei a favor na alteração das datas. Mudámos há muito pouco tempo, ainda não podemos dizer se é bom ou mau, tudo leva o seu tempo. O mal não está na alteração das datas, está na falta de população em Macedo. Há menos gente nas feiras porque as pessoas ainda não se habituaram às datas.”

 

Vera Rocha é comerciante do ramo da restauração e também fez questão de estar presente por não concordar com as novas datas, até porque isso tem tido impacto no comércio local, explica:

“Toda a gente anda confundida. A nível de negócio, é para esquecer. Desde que tiraram a feira desde os dias habituais, Macedo perdeu completamente, e não sou só eu a falar, é o feedback que me chega também do comércio local.”

 

À reunião compareceram 14 feirantes, um número insuficiente para se proceder à votação, tendo por isso ficado agendado um novo encontro para dia 26 de outubro.

Rui Vilarinho, vereador do município macedense, garante que feirantes e comerciantes serão ouvidos:

“Estamos a fazer uma avaliação. Se tivermos necessidade de fazer uma revisão fazemos,  sem problema nenhum. Hoje havia poucos feirantes e marcamos uma reunião para outra data para que estejam mais, e vamos tomar uma decisão. O que nos interessa é que os feirantes e comerciantes estejam satisfeitos. Nós tentamos fazer o que vá de encontro àquilo que é a vontade deles para melhorar o seu negócio. Os feirantes é que irão tomar uma decisão.”

 

O vereador avançou ainda que estão a ser feitas negociações com uma empresa de transportes para que assim que as datas estejam definidas, se possam assegurar deslocações de autocarro a preços reduzidos das aldeias para a cidade nos dias de feira:

“Temos um pré-acordo com a empresa Santos (transportes), para ajudarmos as pessoas das freguesias a virem à feira. A nossa intenção é fazer com que as pessoas venham, e a autarquia quer contribuir.”   

 

Recorde-se que até julho deste ano, a cidade de Macedo de Cavaleiros realizava três feiras mensais, nos dias 6, 18, e 29, tendo a redução do número de dias e alteração das datas sido votada em maio pela maioria dos feirantes.

Agora, voltam a ser revistas.

 

Escrito por ONDA LIVRE

Relacionados

Comentar