Presidente da CIM-TTM considera Cimeiras Ibéricas pouco produtivas

Presidente da CIM-TTM considera Cimeiras Ibéricas pouco produtivas

Artur Nunes, presidente da CIM Terras de Trás-os-Montes e autarca de Miranda do Douro, considera que as Cimeiras Ibéricas têm tido pouco resultado. O autarca reivindica que nada se materializa dos resultados dos encontros entre Portugal e Espanha:

 “De todos os documentos apresentados, penso que nenhuma proposta assinada foi concretizada. Parece-me que estes encontros servem para cumprir uma formalidade de calendário, e em termos de trabalho efetivo temos visto muito pouco nos últimos anos. O que se pretendia era que estas cimeiras fossem produtivas em termos de resolução de problemas entre os dois países.”

 

Como medida estrutural, Artur Nunes defende a conclusão da ligação do IC5 a Espanha:

“Era importante que se acabasse com esta ligação do IC5 a Espanha, que é uma das nossas lutas. Por outro lado, há necessidade de se fazer um plano de combate à desertificação destas regiões transfronteiriças de baixa densidade. Este é um dos assuntos mais importantes neste momento.” 

O autarca considera que este deveria ser um espaço vocacionado para envolver agentes locais e regionais e trabalhar problemas transfronteiriços. A próxima Cimeira Ibérica vai decorrer dia 21 de novembro, em Valladolid, Espanha.

INFORMAÇÃO CIR (Rádio Brigantia)

Relacionados

Comentar