Inalação de gases pode ter sido a causa da morte das cinco pessoas em Fermentões

Inalação de gases pode ter sido a causa da morte das cinco pessoas em Fermentões

A inalação de gases produzidos por um gerador, instalado dentro de casa, é a causa mais provável para a morte de cinco pessoas da mesma família, ontem, em Fermentões, no concelho de Sabrosa.

A PJ acredita que a autópsia irá atestar a tese da intoxicação por monóxido de carbono, afastando a possibilidade de ter havido morte por ingestão de alimentos, nomeadamente cogumelos silvestres, hipótese que chegou a ser admitida ontem.

O gerador era usado para fornecer energia elétrica à casa, onde habitavam, mesmo que só ao fim de semana, o casal Helena Vieira, de 44 anos, e António José Vieira, de 54, e as filhas Beatriz, de 9, e Catarina, de 14. Todos morreram, juntamente com Carlos Vieira, de 48 anos, irmão de António.

O vizinho Álvaro Guedes conta que os alertas para os perigos do uso do gerador dentro de casa já tinham sido feitos:

“Um gerador fechado dentro de casa pode provocar estas coisas, por falta de oxigénio. Eles não tinham luz em casa, iam pô-la na terça-feira. Eles só vinham ao fim de semana, durante a semana iam trabalhar para a quinta, as filhas, o pai e a mãe. O problema é que quando tinham o outro telhado, circulava o ar, agora puseram chapa térmica, isolou.”

O alerta só chegou aos Bombeiros Voluntários de Sabrosa, ontem, depois das 16.30 horas.

Foi depois de familiares terem ido àquela casa, depois da hora do almoço, e se depararem com o cenário trágico. No entanto, tudo aponta para que as mortes tenham ocorrido ainda durante a noite de sábado ou já na madrugada de domingo.

O comandante da corporação de bombeiros de Sabrosa, José Barros, salientou que, quando a equipa do INEM entrou na habitação os corpos já apresentavam rigidez cadavérica:

“Aquilo que posso adiantar é que a equipa médica do INEM que esteve no local definiu que o óbito já ocorreu há bastantes horas, os corpos estão em rigidez cadavérica. À nossa chegada utilizámos detetores de gás para entrarmos na habitação e não tivemos qualquer indicação de algum gás. A partir daqui só a Medicina Legal pode terminar as causas dos óbitos.”

O concelho de Sabrosa estava ontem de luto pela morte do general Loureiro dos Santos, natural do concelho, luto que ontem ficou ainda mais carregado com a tragédia familiar, de acordo com o presidente da Câmara Municipal, Domingos Carvas:

“Uma tragédia para o Município, para a população de Fermentões, para os amigos. Nós estávamos com um dia de luto Municipal e agudizou-se com esta tragédia de cinco cidadãos, diria até cinco jovens, porque as idades vão dos 8 aos 53 anos.”

A Junta de Freguesia de Paços disponibilizou um salão em Fermentões para ser prestado apoio aos familiares das vítimas, quer por parte de psicólogos do INEM, dos serviços sociais da Câmara Municipal e da Comissão de Proteção de Crianças e Jovens de Sabrosa.

Foto: Cortesia Tânia Rei

INFORMAÇÃO CIR (Rádio Ansiães)  

Relacionados