GDM consegue empate com o Nogueiró num jogo marcado pela instabilidade

GDM consegue empate com o Nogueiró num jogo marcado pela instabilidade

A equipa sénior do GDM empatou este sábado por 6-6 frente ao A.D.C. Nogueiró e Tenões na 8ª jornada do campeonato da II Divisão de Futsal.

Um jogo que começou mal para o lado do macedense, que chegou a estar a perder por 2-0

Mais tarde surge o primeiro e depois o segundo da equipa verde e amarela, que consegue chegar ao intervalo com a igualdade de 2-2.

Na segunda parte, o Nogueiró subiu novamente a vantagem para 3-2, mas o GDM deu a volta por cima e, com dois golos seguidos, fez o 4-3.

Ainda com 13:50 minutos por jogar, lesão grave de Hélder do Nogueiró, que num salto bateu cabeça com cabeça com o jogador Carlos do macedense, o que levou à fratura de um osso na zona do maxilar do atleta. O jogo esteve interrompido por mais de 30 minutos enquanto aguardavam a chegada do INEM.

No retomar da partida, o GDM volta a marcar, aumentando a distância ao resultado do Nogueiró por 2 golos com o 5-3, mas a equipa minhota reduziu e fez o 5-4.

O GDM voltou de seguida a acertar a baliza, 6-4, mas o Nogueiró aponta e acerta mais dois golos, fazendo o resultado final. 6-6.

Um jogo que contou ainda com duas expulsões, a do jogador macedense Zé João a quem foi exibido o cartão vermelho por cometer uma falta porque, segundo o entendimento do árbitro, anulou uma situação de clara oportunidade de golo para o Nogueiró, equipa esta que também viu ser um jogador expulso mas por acumulação de amarelos.

António Aires, treinador do GDM, fala numa partida marcada pela instabilidade, mas que, no final, merecia ter sido ganha pela sua equipa:

“Se me perguntassem antes de começar o jogo se o empate era aceitável, eu responderia que sim porque estamos a falar de uma equipa adversária que ocupava o segundo lugar da tabela e que o ano passado disputou a fase de campeão.

Com as adversidades do jogo, em que a pouco mais de um minuto do fim da partida estávamos a ganhar, acho que merecíamos os três pontos em disputa.

Mas, honestamente, acho que tudo se deveu a esta instabilidade que envolveu o jogo.

Estar 38 minutos à espera que prestem assistência ao jogador, levou a que o Carlos, que não teve culpa nenhuma porque tudo sucedeu daquele choque, ficasse emocionalmente destabilizado, e note-se que ele só se apercebeu que também tinha feito um hematoma já no balneário.

No geral, esta equipa, que é mais jovem e imatura, ficou incomodada e destabilizada com toda a situação e não conseguiu controlar as emoções.”

Quanto ao jogador lesionado, foram marcados para hoje exames complementares, e a equipa do macedense reforça os votos de melhoras e uma breve recuperação do atleta.

O GDM segue para a 9ª jornada, última da primeira volta, com 12 pontos, que vai disputar com o Fafe em casa.

Escrito por ONDA LIVRE

Relacionados

Comentar