Mau tempo deixa rasto na região

Mau tempo deixa rasto na região

O vento forte que se fez sentir na região durante a madrugada de hoje levou à queda de algumas árvores, ramos e estruturas móveis de pequeno porte para a via pública no concelho de Macedo de Cavaleiros a partir da meia-noite.

Segundo o comandante dos Bombeiros Voluntários locais, João Venceslau, foram registadas ocorrências nas aldeias de Castelãos, Chacim, Peredo e até mesmo na cidade de Macedo de Cavaleiros, não tendo, no entanto, estas situações representado perigo para as populações das referidas localidades, reforçou.

Já no concelho de Vila Real, a situação foi mais grave e o vento forte provocou mesmo alguns danos.

Segundo o comandante da proteção civil municipal, Miguel Fonseca, foram 23 as ocorrências registadas no concelho entre queda de estruturas metálicas e árvores. Os casos mais graves foram a grua caiu sob o Campo do Calvário, a estrutura de andaimes que desabou sobre uma rua, e árvores que caíram e danificaram viaturas:

“Tivemos uma noite com bastante trabalho devido às fortes rajadas de vento a partir das 21h00. No total, tivemos 23 ocorrências, entre quedas de árvores e estruturas danificadas. Durante toda a noite estiveram no terreno quase 100 operacionais, com bastante trabalho até às 8h00 da manhã mas está tudo praticamente normalizado. Estamos a limpar as vias para consolidação destas situações.”

Miguel Fonseca lembra que apesar dos elevados prejuízos não há vítimas a registar:

“Tivemos algumas situações complexas, como a queda de uma grua para o Campo do Calvário. Felizmente, no total das ocorrências não houve nenhuma vítima a registar.”

Carlos Silva vereador responsável pela área da proteção civil refere que estão a ser efetuados todos esforços para que a normalidade seja retomada o mais depressa possível:

“Foi mais complicado do que estávamos à espera, mesmo com os avisos, não esperávamos que fosse tão intenso. Apesar de tudo, as coisas correram de uma forma satisfatória por não haver danos humanos a registar, apesar dos estragos materiais. A grua que caiu deteriorou a bancada, relvado. Também alguns andaimes caíram, bem, como algumas árvores que arrancaram cabos de eletricidade.” 

Para além da queda de árvores, andaimes e da grua, também alguns telhados ficaram danificados, como por exemplo as coberturas de alguns armazéns na zona industrial de Vila Real.

 

Escrito por ONDA LIVRE / Universidade FM (CIR)

 

Relacionados

Comentar