Governo aumenta financiamento para as obras do posto da GNR de Macedo

Governo aumenta financiamento para as obras do posto da GNR de Macedo

O Governo vai disponibilizar 660.800€ para as obras de requalificação do Posto Territorial da GNR de Macedo de Cavaleiros, mais cerca de 200 mil euros do que o previsto inicialmente.

Num despacho conjunto das Finanças e da Administração Interna, a tutela anunciou a reprogramação da intervenção, aguardada desde 2015, altura em que foi assinado um protocolo entre a autarquia e Anabela Fernandes, na altura em funções de ministra da Administração Interna, que previa o financiamento de cerca de 500 mil euros para a empreitada, que não chegou a arrancar devido a exigências nas especificidades do projeto por parte do Governo.

Benjamim Rodrigues, autarca de Macedo, refere que a primeira dotação não era suficiente para as intervenções necessárias no edifício:

“O valor de 472 mil não era suficiente e, como tal, tentamos negociar para um valor superior. Mesmo assim, não é o valor que queríamos mas é razoável pois 660.800€ representa quase mais 40% do que aquele que inicialmente foi destinado.

Havia uma série de questões que estavam a emperrar o processo desde 2015 devido a algumas especificidades que exigiam alterações ao projeto, fazendo com que continuasse a ser sempre adiado.

É óbvio que isto obrigou a algumas negociações com a tutela, nós tivemos várias reuniões em Lisboa com o Ministério da Administração Interna e, felizmente, conseguimos chegar a este valor que está mais adequado às necessidades do posto.”

Uma das exigências da tutela é que as obras aconteçam durante os próximos dois anos, sendo que em 2019 o encargo não poderá exceder os 396.480 € e em 2020 os 264.320€, que inicialmente serão suportados pela autarquia, e, posteriormente, reembolsados na totalidade pelo Governo.

Melhorias que prevêem dar condições dignas de trabalho àqueles militares da GNR, acrescenta o presidente:

“Da nossa parte, queríamos que as condições estivessem reunidas e que o projeto, que foi por nós conduzido, pudesse obedecer a todas as especificidades que os arquitetos defendiam.

Trata-se  de uma requalificação do edifício que vai incidir principalmente em melhorias na eficiência energética, pois não há ali condições dignas para a corporação.”

O contrato com a Ministério da Administração Interna vai ser assinado no dia 2 de janeiro, seguindo-se depois a fase concursal da obra para que, assim que possível, as intervenções arranquem.

Escrito por ONDA LIVRE

Relacionados