Canis intermunicipais do distrito de Bragança estão lotados

Canis intermunicipais do distrito de Bragança estão lotados

O canil Intermunicipal da Terra Quente Transmontana acolhe 200 animais com capacidade para 80, já o Centro de Recolha de Animais da Terra Fria Transmontana tem 55 animais de companhia, com capacidade máxima para 60. A mudança da lei que proíbe o abate de animais tem contribuído para o aumento de cães e gatos à espera de adopção, como destaca Manuel Miranda, secretário-geral da Associação dos Municípios da Terra Quente Transmontana:

“Os animais têm que sair esterilizados, as eutanásias só podem ser efetuadas com critério clínico, e isso tem levado a que, por muito esforço que estejamos a fazer, a lotação continue no máximo. Tivemos que limitar o acesso por parte das entregas feitas pelos cidadãos e deixar ficar os animais que constituem risco ambiental e para as pessoas.”

Para este centro de Recolha Oficial de Animais para o próximo ano estão previstas obras de ampliação no valor de 150 mil euros:

“No próximo semestre de 2019 vamos desenvolver um conjunto de projetos que temos para beneficiar e capacitar o canil, para estas novas exigências legais e aumentar essa capacidade. Estamos num processo de aquisição de terrenos na área envolvente para ampliar as instalações, e temos já uma candidatura aprovada para beneficiarmos do nosso bloco operatório e melhorar das condições do canil.”

Para o centro de recolha de animais da Terra Fria Transmontana foi realizada uma candidatura para melhorar condições, apesar de ter pontuação, as verbas não foram suficientes para ser contemplada, como destaca Jorge Fidalgo, presidente da câmara municipal de Vimioso:

Fizemos uma candidatura para poder alargar o canil. 
Quando fizemos o nosso canil foi com a lei que existia mas neste momento é uma estrutura intermunicipal, e não existindo possibilidade nós não podemos recolher os animais.”

A lei de proibição de abate de animais entrou em vigor no final de Setembro do ano passado. A lei determina que se os animais acolhidos pelos Centros de Recolha Oficial que não sejam reclamados pelos seus donos no prazo de 15 dias, a contar da data da sua recolha, são “considerados abandonados e são obrigatoriamente esterilizados e encaminhados para adopção”.

INFORMAÇÃO CIR (Rádio Brigantia)  

Relacionados

Comentar