Feira do Fumeiro de Vinhais marcada pela presença de políticos e mais de 80 mil visitantes

Feira do Fumeiro de Vinhais marcada pela presença de políticos e mais de 80 mil visitantes

Chegou ao fim ontem aquela que é a feira do fumeiro mais antiga do país, a Feira do Fumeiro de Vinhais.

O certame contou no sábado com a presença de Assunção Cristas, que deixou duras críticas ao governo relativas aos fundos comunitários na área da agricultura. A presidente do CDS lamenta o baixo número de investimento nesta área.

“Eu lamento muito, por exemplo, que hoje olhemos para os fundos europeus para este setor e verificamos que apenas estão executados em 30% na parte do apoio ao investimento, é muito pouco para um programa que já está no final. O Governo diz que ainda há mais três anos, mas esses três anos são um recurso para ser utilizado. A verdade é que hoje, em Portugal, nós podíamos ter uma execução bem melhor, muitas pessoas estão à espera dos seus projetos aprovados, querem investir neste setor e o governo, simplesmente, não abre mão das verbas, porque não dá prioridade política à agricultura.”

Ainda nesta temática de fundos comunitários, Paulo Rangel, que também passou pelo certame, no sábado, alertou para a negociação dos fundos comunitários com Bruxelas. O candidato às eleições europeias que se realizam a 26 de maio, referiu que Portugal vai perder 7% dos fundos de coesão.

“É uma imposição muito má para Portugal que não tem nenhuma razão para a fazer, porque o PSD fez um acordo com o Governo há cerca de um ano, de forma a que não houvesse nenhuma perda nos fundos comunitários. Neste momento, sem contar com as perdas na agricultura, que são bem grandes, nós vamos perder 7% dos fundos de coesão. Esses fundos são fundos para as regiões, e em particular para Trás-os-Montes.”

Já no domingo, o Governo esteve representado na entrega de prémios do concurso de melhor Salpicão, com a presença de dois secretários de estado. Na sessão esteve presente o Secretário de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Sobrinho Teixeira e o titular da pasta da Protecção Civil. Este último, José Artur Neves, afirmou que a reformulação da lei da autoridade nacional da protecção civil está praticamente concluído, depois da moção da Liga de Bombeiros Portugueses, deste sábado.

“Como tem sido dito, nos últimos tempos, a primeira proposta que apresentamos dentro do Governo para análises e discussão com a Liga dos Bombeiros Portugueses, tem feito o seu caminho e esse trabalho está em vias de ficar concluído. Ontem, numa importante reunião do Concelho Nacional da Liga dos Bombeiros Portugueses, foi-nos transmitido que há lá três ou quatro pontos que nos obrigam a mais uma reunião. Vamos fazê-la esta segunda-feira ou depois, para fecharmos rapidamente este processo.”

Quanto ao certame, de acordo com a organização, as expectativas de 80 mil visitantes foram superadas e os produtores também consideram que tiveram boas vendas.

“Temos vendido bastanteeste ano e o fumeiro tem tido boa saída. O salpicão e a chouriça são os que têm saído mais.

Já temos clientes que vêm à procura do nosso fumeiro há já uns bons anos.”

 

“Correu bem, apesar de acharem caro e levarem menos. Levam uma, duas, já não levam quilos como levavam antigamente. A qualidade continua igual, o problema é que as pessoas cada vez têm menos dinheiro. Depois também dizem que o fumeiro faz mal e acabam por querer consumir menos.”

 

 

Já os visitantes que chegaram de todos os cantos do país, uns pela primeira vez, outros repetentes. São a qualidade do fumeiro e os ares transmontanos, razões mais que suficientes para visitar Vinhais, na trigésima nona edição deste certame.

“Vim de propósito. Foi a primeira vez e gostei da gastronomia e da gente daqui. São comunicativos e têm bom espírito de vendedores. Levo daqui casulas, butelo e rabinho do animal.”

“Muito bom, o ano passado levei fumeiro e gostei. Este ano penso que vou gostar também.

Acho que está tudo muito bom. Almocei por cá, diziam que era muito caro mas não achei.”

Na feira participaram 70 produtores de fumeiro certificado e 400 expositores. Na programação, para além das chegas de touros, mostras equestres e a habitual animação musical, também decorreu o concurso do melhor salpicão.

Para Luís Fernandes, presidente da câmara de Vinhais, ontem na entrega de prémios do melhor Salpicão, no seu discurso continuou a pedir que a requalificação da Nacional 103 seja uma realidade. Mas fez um balanço positivo da mostra:

“Parece-me que o balanço da feira este ano é extremamente positivo. Em primeiro lugar, pelo facto de as pessoas terem vendido tudo ou praticamente, depois também pelo fluxo de gente que veio, sobretudo sexta e sábado. Alguém me disse que nunca viu um sábado como estava ontem, portanto, correu muito bem. Há pessoas que já venderam tudo, o que é bom sinal.

Foram 4 dias de feira, com um movimento mais de cinco milhões de euros. O preço do salpicão a 40 euros e da alheira a 10 euros. Só para a feira foram abatidos mais de 500 porcos bísaros.

INFORMAÇÃO CIR (Rádio Brigantia)

Relacionados

Comentar