ESE do IPB e Freguesias de Sé, Santa Maria e Meixedo juntam-se para revitalizar a Música Tradicional e em Contextos Comunitários

ESE do IPB e Freguesias de Sé, Santa Maria e Meixedo juntam-se para revitalizar a Música Tradicional e em Contextos Comunitários

A União das Freguesias de Sé, Santa Maria e Meixedo e a Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Bragança, assinaram, ontem, um protocolo de colaboração para a criação de grupos de trabalho e de investigação para a revitalização da Música Tradicional da região de Bragança e da Música em Contextos Comunitários, como explica o presidente da escola, António Ribeiro Alves.

“Esta colaboração vai permitir que façamos investigação aplicada em música, absolutamente necessária para o processo de credibilização da formação que damos. Tem necessariamente de ser um conhecimento aplicado à realidade envolvente que, neste caso, é a música tradicional portuguesa.”

Telmo Afonso, presidente da união de freguesias da Sé, Santa Maria e Meixedo, confirma a importância da celebração deste protocolo.

“Este protocolo é muito importante no que toca à área da música transmontana e da recolha que é e está a ser feita com algum critério pela professora Isabel Castro e pela secretária da União de Freguesias, Ana Pereira. Pensamos em ter um livro editado ainda este ano, com a tradução em papel da recolha que vai ser feita, que será uma memória que vai ficar para a vida das pessoas.”

Prevê-se ainda a redimensionalização do evento Fórum Bragança em Música de Fundo (Fórum BMF). Este evento visa a afirmação da música em diferentes contextos e dimensões sociais e culturais, incidindo nas manifestações da região. Para António Ribeiro Alves, neste sentido, a junta de freguesia tem desempenhado um papel fundamental.

“A junta tem desempenhado um papel de apoio à realização deste forum, agora de forma acrescida. Espero que o conhecimento a ser transmitido tenha já a ver com os projetos (recolha de dados e reflexão) por parte dos nossos docentes e alunos.”

Além deste fórum, o presidente da junta fala de outros projectos em parceria.

“O projeto é muito importante na área cientifica e na área da música transmontana, com investigadores nacionais e internacionais, que vêm à nossa região para discutir e falar da música que é feita e tem origens na nossa terra. Pensamos em poder levar a todas as outras escolas do 1º clico da cidade de Bragança, o projeto-piloto que já existe na escola Artur Mirandela.

Queremos ainda, juntamente com os alunos de música da Escola Superior de Educação,  levar estas músicas aos bairros da cidade e às aldeias de Meixedo e Oleirinho.”

A união de freguesias compromete-se a apoiar estas actividades com apoio logístico e de transporte e no apoio financeiro de cinquenta euros por músico em cada atuação.

INFORMAÇÃO CIR (Rádio Brigantia)

Relacionados

Comentar