Municípios do distrito não integram a organização do Festival Internacional da Máscara Ibérica

Municípios do distrito não integram a organização do Festival Internacional da Máscara Ibérica

Começou ontem, e termina domingo, em Lisboa, o Festival Internacional da Máscara Ibérica. O evento celebra agora 14 anos sendo que há 12 que acontece na capital do país. Apesar de não ser dinamizado neste território, onde a cultura da máscara se impõe, ao evento, segundo confirmou o presidente da direcção da entidade organizadora, a Progestur, têm-se associado os municípios de Vinhais, Miranda do Douro, Mogadouro e Macedo de Cavaleiros. Hélder Ferreira diz que o mesmo convite sempre foi feito à autarquia de Bragança mas sem sucesso. Questionado sobre o porquê da Academia Ibérica da Máscara não estar associada à iniciativa explica que esta nunca foi, pela organização, contactada:

“A câmara de Bragança é realmente a única câmara do nordeste transmontano que nunca esteve e tem sido sempre convidada. Nunca esteve e certamente haverá razões para não ter interesse em estar Lisboa neste festival. Em relação à academia, nunca tivemos contacto com a academia daí que, por essa razão, não está. Não há contactos por isso não há razão para estar. Em relação à câmara de Bragança tem havido todos os anos contactos, eu próprio tive uma reunião com a vereadora já no início deste ano e entendo que Bragança seria, certamente, dos municípios que mais ganharia em estar presente. Quem vai estar presente em termos físicos é Miranda do Douro, Mogadouro e Vinhais. Macedo de Cavaleiros também estará presente mas não em termos físicos. O mesmo convite que foi feito a estes municípios também sempre foi feito a Bragança”.

A CIR contactou o presidente da câmara de Bragança para perceber o porquê da autarquia não se associar à iniciativa. Hernâni Dias explica que não há convite para um envolvimento condigno sendo este um dos pontos que mantém vivo este património e onde se verificam estas manifestações associadas aos mascarados e às festas de inverno:

“O município de Bragança foi convidado para um almoço institucional por ocasião deste evento o que, obviamente, não é suficiente para garantir o nosso envolvimento. O município não tem sido solicitado para um envolvimento condigno relativamente a esta matéria e creio que também não tem sido envolvida a Academia Ibérica da Máscara, uma entidade que representa tudo aquilo que tem a ver com a tradição da máscara ibérica, neste caso concreto. Provavelmente até estão aqui envolvidos outros meios, até comunitários.  Não entendo porque dizem que Bragnça é o único Município que não estará presente. Bragança está presente sim, através de um grupo de caretos, neste caso de Grijó de Parada”.   

Contactado, o presidente da Academia Ibérica da Máscara, António Tiza, não quis prestar declarações gravadas mas confirma que a academia nunca foi convidada para participar ou fazer parte da organização e que não compreende o porquê sendo este o organismo mais representativo na temática da máscara. Do distrito, estão a participar os caretos de Grijó e os de Parada, do concelho de Bragança, Vinhais está representado com os mascarados de Vila Boa, Macedo de Cavaleiros com os caretos de Podence, Miranda do Douro com O Velho e A Galdrapa de São Pedro da Silva e do concelho de Mogadouro está o Farandulo de Tó, a Festa dos Velhos de Bruçó e o Careto e o Velho de Valverde.

INFORMAÇÃO CIR (Rádio Brigantia)   

Relacionados

Comentar