Dispositivo de combate a incêndios deste ano foi reforçado no distrito de Bragança

Dispositivo de combate a incêndios deste ano foi reforçado no distrito de Bragança

Noel Afonso, Comandante Operacional Distrital de Bragança, explica que estão preparados a contar que este venha a ser um verão complicado:

“Contamos com um total de 533 operacionais apoiados por 130 veículos, 14 máquinas de rasto, e este é o número mais expressivo de todo o território nacional, e conta ainda com três meios aéreos, dois de ataque inicial e um para ataque ampliado.”

Miguel Gonçalves, da Direção Regional da Conservação da Natureza e Florestas do Norte, explica que há, neste momento, mais e melhor investimento na prevenção de incêndios:

“Fizemos um forte investimento na maquinaria pesada e em tratores, para dar apoio a outra área em que nos últimos tempos foi feito um reforço com as equipas de sapadores florestais e as do Corpo Nacional de Agentes Florestais. São os meios que nos permitem atuar no terreno de uma forma mais eficaz.”

As autarquias têm dado uma ajuda importante desde o ano passado. Os proprietários são notificados para limpar as matas e criar faixas de proteção. Se não o fizerem, são as Câmaras a avançar. Em Mirandela, por exemplo, a sensibilização tem dado frutos, de acordo com Júlia Rodrigues, presidente da Câmara:

“Cada vez mais os proprietários estão a responder positivamente às notificações, e por isso existe uma auto-consciência da sociedade em geral de que isto é uma obrigação de todos. Não pode ser só o Estado, os privados também têm que estar atentos.”

Para os mais distraídos, Henrique Martins, relações públicas da GNR de Bragança, insiste que é preciso limpar os terrenos à volta das casas para evitar que os incêndios coloquem em perigo pessoas e bens:

“Tal como acontece no concelho de Mirandela, existindo um plano municipal da defesa da floresta contra incêndios aprovado, os 100 metros à volta do aglomerado populacional e a distância à voltas das habitações isoladas, efetivamente é obrigatório limpar. Caso contrário, poderão vir a ser multados.”

Aviso feito durante o debate da “Mostra” da Escola Superior de Comunicação, Administração e Turismo de Mirandela, sobre o papel dos municípios na defesa da floresta contra incêndios.

INFORMAÇÃO CIR (Rádio Ansiães)

Relacionados

Comentar