Caprinicultura e Ovinicultura com futuro comprometido na região transmontana

Caprinicultura e Ovinicultura com futuro comprometido na região transmontana

Pode estar seriamente comprometida a caprinicultura e a ovinicultura na região transmontana.
A avançada idade da grande maioria dos pastores em atividade e a falta de interesse dos mais jovens são razões que levam o presidente da Associação de Caprinicultores da Raça Serrana a mostrar-se muito
preocupado quanto ao futuro do setor.

Pode não estar em vias de extinção, mas o futuro da caprinicultura e da ovinicultura é cada vez mais negro. O aviso é do presidente da direção da ANCRAS, Associação Nacional de Caprinicultores da Raça Serrana:

“Pode não estar em risco, mas realmente vejo isto bastante complicado. Enquanto se continuar a fazer o maneio como se fazia há 50 ou 60 anos atrás, sem modernizarmos esta situação, obviamente que os jovens não vão abraçar esta atividade.”

 

Arménio Vaz entende também que os apoios são escassos e não percebe porque não contemplam a aquisição de animais:

“Há apoios para a construção de estábulos e depois não há para a compra de animais e isso é aberrante. Quando há apoio para a plantação de amendoal e olival, porque não também haver para a compra de ovinos e caprinos, acho que isso seria fundamental para que as pessoas fossem incentivadas a enveredar por este setor.”

Para António Alberto, caprinicultor há mais de 40 anos, em Alijó, o pouco interesse da juventude neste setor tem a ver com o intenso trabalho que diz ser necessário para ter rentabilidade:

“São 365 dias por ano, 24 horas por dia. A gente anda o dia inteiro, à noite tem que descansar alguma coisa e poucas horas depois tem de estar novamente em cima do acontecimento e não há férias. O criminoso vai para a cadeia e o pastor anda no monte.”

 

António Alberto é um dos cerca de 200 caprinicultores associados da ANCRAS espalhados pelos distritos de Bragança e Vila Real que têm a garantia de escoamento dos cabritos e do leite.

A caprinicultura e a ovinicultura ainda é um setor rentável, o problema é mesmo a falta de jovens a optarem por esta atividade.

Declarações avançadas no passado sábado, na Escola Profissional de Agricultura e Desenvolvimento Rural de Carvalhais, onde decorreu o 29º concurso da cabra serrana, promovido pela ANCRAS, com a participação de 12 produtores.
Trata-se de uma parceria entre estas duas entidades que Arménio Vaz considera importante para tentar motivar os alunos da EPA de Carvalhais a enveredar por esta atividade

Este concurso da cabra serrana foi uma das atvidades inseridas na semana de desenvolvimento rural e do empreendedorismo da EPA de Carvalhais, que decorreu, na sexta e sábado.

 

INFORMAÇÃO CIR (Rádio Terra Quente)    

Relacionados