Praga da vespa do castanheiro poderá diminuir dentro de cinco anos

Praga da vespa do castanheiro poderá diminuir dentro de cinco anos

Ao fim de cinco anos de combate biológico da vespa da galha do castanheiro, a praga poderá começar a diminuir.

A previsão é de Maria Mesquita, responsável pela área da fitossanidade na Direção Regional de Agricultura e Pescas do Norte (DRAPN):

“Com base nos estudos, nomeadamente nos italianos, a praga começa a inverter a curva aproximadamente ao fim de cinco anos. É preciso ter alguma paciência, não desanimar, não desmotivar, ter alguma persistência, no sentido de esperar alguns anos, isto porque não vai deixar de aparecer a vespa, ela foi introduzida e veio para ficar. O que se pretende é que baixe o nível da vespa, suba o nível do parasitóide e ele se mantenha em níveis que sejam viáveis do ponto de vista da rentabilidade dos castanheiros.”

 

Uma aplicação que tem tido bons resultados nos soutos do distrito:

“Nós estamos a fazer a monitorização da instalação do parasitóide que andamos a lançar, que vai parasitar a vespa. Em todos os locais onde foi feita a monitorização, podemos dizer que o parasitóide está instalado, embora a natureza se vá encarregar dele se se multiplicar.” 

 

Declarações à margem da primeira jornada técnica organizada pelo Gabinete de Empreendedorismo e Desenvolvimento Rural (EDRU) de Macedo de Cavaleiros, subordinada aos temas Castanheiro e Olivicultura.

Problemas que importa esclarecer à população, justifica Henrique Palma, coordenador técnico do EDRU:

“Esta jornada técnica é a primeira que estamos a realizar, entre muitas que temos pensadas. Os temas destas jornadas relacionaram-se essencialmente com o enquadramento destes dois problemas que existem a nível da nossa agricultura. Foi, no fundo, transmitir aos agricultores e associações ligadas ao setor agrícola, que estes problemas funcionem como consciência e alerta para os serviços oficiais.”

 

Ao longo desta primeira jornada técnica foram ainda explicados os novos estatutos de incentivo à agricultura, nomeadamente o da Agricultura Familiar e do Jovem Empresário Rural.

 

Escrito por ONDA LIVRE    

Relacionados

Comentar