Aldeia de Morais recria este domingo a ceifa e malha do cereal

Aldeia de Morais recria este domingo a ceifa e malha do cereal

Este domingo, a aldeia de Morais, Macedo de Cavaleiros, retorna às origens para recriar a tradição da ceifa e da malha do cereal, lides que em tempos fizeram o dia a dia de muitos habitantes desta região do país, que no passado século foi das mais importantes na produção de pão em Portugal.
Um evento que este ano não se restringe só ao domingo, e conta com um um programa vasto em atividades, que começam já este sábado, sendo até uma delas de cariz solidário, como conta o presidente da junta da aldeia, Ramiro Valadar:

“Como no sábado não havia praticamente qualquer evento, achamos por bem preenchê-lo com algumas atividades.

Vamos ter logo ao início da manhã uma caminhada e a seguir um passeio TT solidário, cujo valor da inscrição (que é simbólico) vai reverter para os bombeiros voluntários de Macedo de Cavaleiros. Já temos cinquenta inscrições mas estamos a contar com mais.

De seguida, ainda no sábado, ao meio da tarde, vamos ter uma chega de bois, e ao fim do dia teremos um jantar convívio seguido de um espetáculo de concertinas à noite.”

No domingo, o dia começa bem cedo com os participantes a rumar para o campo onde vão começar a ceifa do cereal, para depois ser feita a respetiva malha, na eira, durante a tarde.
Uma atividade que continua a contar com uma boa adesão da população da aldeia e não só:

“Quem vai ao terreno, ano após ano, nota que aparece muita gente, e mesmo no campo andam sempre entre 90 e as 120 pessoas.

Queremos aumentar este número a cada ano e há pessoas que não são da aldeia e também participam.

À tarde, na altura da malha e da merenda, temos sempre um mar de gente, por isso, durante o dia, acredito que entre 400 a 500 pessoas passem por Morais.

Deixo desde já o convite a todas as pessoas, quem quiser ceifar é só aparecer em Morais no domingo, serão sempre bem-vindos.”

Durante o dia de domingo vai ser ainda inaugurada uma rua em homenagem a uma cidadã que teve importância para a aldeia, a “Tia Isménia”.

Escrito por ONDA LIVRE

Relacionados

Comentar