Autarca de Izeda insiste na necessidade de que os alunos das aldeias limítrofes de Macedo devem frequentar a escola da vila

Autarca de Izeda insiste na necessidade de que os alunos das aldeias limítrofes de Macedo devem frequentar a escola da vila

Izeda, no concelho de Bragança, comemorou este sábado 29 anos de elevação a vila e as preocupações com o possível encerramento da escola básica de 2.º e 3.º ciclos marcaram os discursos na cerimónia.

O presidente da junta de freguesia de Izeda, Calvelhe e Paradinha Nova, Luís Filipe Fernandes, diz que seria um duro golpe se a vila perdesse a escola, mas adiantou que, ao contrário do ano passado, deverá funcionar uma turma do 5.º ano.

“Se a escola de Izeda tiver algum problema é a machadada final nesta vila, com a perda da escola Izeda deixa de ter qualquer protagonismo nesta região.”

O autarca continua a insistir na necessidade de os alunos de algumas aldeia do concelho de Macedo de Cavaleiros limítrofes de Izeda serem transportados para a escola de Izeda, devido à proximidade:

“Continuamos a batalhar na questão dos alunos de Macedo de Cavaleiros, porque não faz sentido os alunos passarem aqui e vão para Macedo em circuitos prolongados. Falta os dois presidentes de câmara sentarem-se a uma mesa e conversarem um pouco. Estou disponível para promover esse encontro e mesmo ir a uma reunião da CIM para discutir esse assunto.”

O vice-presidente da câmara de Bragança, Paulo Xavier, presente nas comemorações, não se comprometeu em assegurar o transporte dos alunos, mas mostrou abertura para trabalhar numa solução:

“Tem de haver aqui convergência entre as duas câmaras municipais e tem também de haver responsabilidade da tutela, tem de autorizar. Da nossa parte tudo faremos para que haja uma boa solução.”

A escola de Izeda perdeu o ano passado alunos do 5 e 6.º anos, mas no próximo ano deverá ter uma nova turma e espera-se que sejam 45 alunos entre o 5.º e o 9.º anos.

INFORMAÇÃO E FOTO CIR (Rádio Brigantia)

Relacionados