Benjamim Rodrigues quer implementar políticas de sustentabilidade alimentar na região

Benjamim Rodrigues quer implementar políticas de sustentabilidade alimentar na região

O autarca de Macedo de Cavaleiros quer adotar políticas locais de sustentabilidade alimentar, não só no concelho, mas, idealmente, na área da CIM Terras de Trás-os-Montes.
Medidas que têm de ser trabalhadas pelos órgãos de poder locais para que os sistemas agrícolas e alimentares produzam alimentos mais sustentáveis, promotores da saúde e bem-estar das populações, o que Benjamim Rodrigues acredita ser benéfico para a região:

 

“Temos de considerar que somos das regiões do país que produzem alimentos ainda com alguma qualidade e preservação biológica, obedecendo a muitas regras de equilíbrio ambiental e alimentar. Por isso, fazia todo o sentido aderirmos a este tipo de políticas.

São medidas locais que se forem bem concebidas e com uma prática contínua, acabam por ser património que persiste e qualidade alimentar que deixamos às gerações atuais e vindouras.”

A vontade foi recentemente expressa ao secretário nacional da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura, a FAO, Francisco Sarmento, que vai colaborar na implementação dessas políticas:

 

“Eu penso que a região tem todas as condições para promover uma maior cooperação entre os municípios que assentam em um património eco cultural comum, em termos de produção de alimentos. Portanto, aproveitar estas energias faz todo o sentido.

Para implementar estas políticas a nível local é necessário haver esforço das várias áreas de trabalho municipais, não apenas as que lidam com a questão da produção dos alimentos agrícolas, mas também envolver a saúde, a educação e as outra áreas de trabalho das autarquias. É necessário envolver, sobretudo, todos os atores que estão ligados à cadeia alimentar, desde produtores, consumidores, distribuidores, e também o setor privado que hoje tem um papel muito importante. Todos estes atores terão de trabalhar em conjunto para a promoção dos sistemas alimentares sustentáveis a nível local.”

Centenas de municípios à escala global estão já a trabalhar nesta matéria, e mais de uma dezena são portugueses.
Uma questão que cada vez mais preocupa a população:

 

“Hoje em dia cada vez mais as pessoas verificam, por si próprias e pelos seus familiares, que nós somos aquilo que comemos, e isso tem uma influência decisiva para a nossa saúde, assim como para estarmos bem e felizes.

A alimentação volta hoje a estar no centro da preocupação da maioria dos cidadãos. Contudo, isso está a acontecer porque a maior parte da alimentação a que as pessoas têm acesso hoje é insustentável, uma vez que não respeita os equilíbrios ambientais que são necessários, e com isso está a ter características nutricionais mais pobres, gerando doenças e não saúde.”

Políticas locais de sustentabilidade alimentar a despertar o interesse do autarca de Macedo de Cavaleiros que referiu ainda que vai levar o assunto a sede de CIM para propor uma implementação mais abrangente no território.

Escrito por ONDA LIVRE

Relacionados

Comentar