Vício dos ecrãs e falta de tempo na área da parentalidade foram assuntos discutidos em Macedo de Cavaleiros

Vício dos ecrãs e falta de tempo na área da parentalidade foram assuntos discutidos em Macedo de Cavaleiros

Vivemos num mundo e numa sociedade em constante evolução e isso tem trazido novos desafios à forma como os pais educam os filhos.

A convicção é de Mikaela Övén, Fundadora da Academia de Parentalidade Consciente:

“Os desafios são diferentes e a sociedade funciona de uma forma diferente de antes. Os pais são mais precisos e têm menos tempo. São épocas desafiantes para muitos pais e isso faz com que procurem outras formas, porque se sentem desalinhados e começam a questionar-se, alturas em que por vezes me procuram.”

 

As evoluções tecnológicas também criam desafios nesta área. Para a entendida sueca, um dos principais problemas passa pelos pais estarem tão viciados nos ecrãs como os filhos:

“Isso torna esta situação ainda mais complexa. Fazem exigências aos filhos e queixam-se mas não se colocam em causa a eles próprios. Isso esvazia as relações no geral, não apenas de pais e filhos. É um problema da sociedade, acho que precisamos de mais tempo sem ecrãs. Muitas vezes queremos que os filhos desliguem a playstation mas como estamos cansados não estamos dispostos a sermos nós a substituir o ecrã. Se os pais estiverem presentes, a maioria dos filhos escolhe os progenitores, e não os ecrãs.”

 

Mikaela Övén passou recentemente por Macedo de Cavaleiros e trouxe alguns conselhos sobre parentalidade consciente. Sobre esta última, a formadora e palestrante diz que os pais estão cada vez mais preocupados em criar boas relações com os filhos:

“Na parentalidade consciente estamos muito conectados com aquilo em que acreditamos ser certo. Contudo, aquilo que a ciência nos diz nesta área é que questionamos velhos hábitos e procuramos criar boas relações com os filhos. As pessoas estão cada vez mais curiosas e interessadas e aceitam que nos faz bem estudar a área da parentalidade.”

 

Conselhos úteis para quem é pai, considera a vice-presidente da autarquia e responsável pelo pelouro da educação do município, Elsa Escobar:

“Ser mãe motivou-a a desenvolver este tipo de estudos, e isso é bom. Penso que falar com alguém que tem experiência é sempre melhor e acaba por criar mais empatia, o que ajuda na aprendizagem.” 

 

A palestra esteve inserida nas atividades que marcam o Mês da Inteligência Emocional em Macedo de Cavaleiros.

 

Escrito por ONDA LIVRE 

Relacionados