I Open de Xadrez Terras de Trás-os-Montes chega ao fim com balanço positivo

I Open de Xadrez Terras de Trás-os-Montes chega ao fim com balanço positivo

Chegou ontem ao fim o I Open de Xadrez Terras de Trás-os-Montes que decorreu de quinta-feira a domingo em Macedo de Cavaleiros.

O torneio contou com a presença do 78 do ranking mundial, Karen Grigoryan, que, sem surpresas, conseguiu o primeiro lugar.

O internacional arménio fala em alguns jogos difíceis e em jogadores de alta qualidade:

“Fiz alguns jogos difíceis mas estou contente por ter sido o vencedor.

Os jogadores eram fortes, alguns deles já conheço há alguns anos e outros não conhecia.

Depois de alguns jogos difíceis venci mas, de qualquer forma, eles jogaram muito bem.”

Quanto à cidade, que ainda não conhecia, o mestre deixa ficar elogios:

“Sobre esta cidade posso dizer que as pessoas são muito simpáticas, está tudo muito bem organizado, gosto de tudo.

É uma cidade pequena mas é tudo maravilhoso.”

Um evento que terminou com balanço positivo e é um passo para afirmar a modalidade na região, como refere Miguel Moreira, Presidente da Associação de Xadrez de Bragança:

“O balanço é bastante positivo. Nesta edição pioneira correu muito bem, já não havia um torneio deste género há oito anos aqui em Trás-os-Montes e o nosso objetivo é também entrar pelo desporto escolar.” 

Para os jogadores de xadrez do GDM foi uma experiência importante, considera Ricardo Batista, presidente da secção de xadrez:

 “Uma das vantagens deste torneio é poder jogar com bons jogadores. O nosso intuito é dar essa possibilidade, de poder jogar com jogadores diferentes e melhores. Conseguimos o melhor em sub-18 e sub-20, porque no ponto em que estamos, que é o de formação, este torneio era difícil para os nossos atletas pois exige muita maturidade.”

A iniciativa teve o apoio das autarquias de Macedo de Cavaleiros, Bragança e Mirandela.

A participar estiveram cerca de 50 atletas de sete nacionalidades, que ficaram a conhecer Macedo de Cavaleiros, o que para o autarca, Benjamim Rodrigues, é uma boa promoção para o território:

“Quando nos abordaram para apoiar este tipo de evento, estivemos disponíveis desde a primeira hora.

Claro que todo o tipo de organização que envolva jovens e este tipo de práticas que obriga o cérebro a trabalhar, para nós é muito importante.
Tivemos praticantes de três continentes, foi muito bom e, acima de tudo, para o nosso território são cinquenta pessoas que estão por aqui a conhecer e ficaram muito satisfeitas com o que tivemos para oferecer.
A nossa cortesia e forma de receber marcou-os e estavam já a dizer que, no próximo ano, voltarão, embora o evento vá decorrer em Bragança. 
É uma boa promoção do território.”

Em 2021, será Bragança a receber o II Open de Xadrez de Trás-os-Montes e em 2022 é a vez de Mirandela.

Escrito por ONDA LIVRE

IMG_4002IMG_4005

Relacionados

Comentar