Missas voltam a ter pessoas a partir de sábado mas com regras de segurança. Saiba quais

Missas voltam a ter pessoas a partir de sábado mas com regras de segurança. Saiba quais

A partir de sábado, as missas já podem voltar a receber gente, embora com medidas de segurança.

Roberto Felipe, pároco da Unidade Pastoral da Divina Misericórdia de Macedo de Cavaleiros, explica que normas terão de ser respeitadas:

“Não será permitido que as pessoas estejam na igreja sem usar máscara, seja nas missas ou funerais. Também terá de ser mantido o distanciamento social recomendado e ter em conta os cuidados de higiene.

Vamos ter também limite de pessoas nas igrejas. O controlo vai ser feito conforme vão preenchendo os lugares marcados. Durante este recomeço, as entradas na igreja serão feitas por uma porta e as saídas por outras, com ajuda de uma equipa.

Pedimos também às pessoas que não repitam as missas. Por exemplo, quem vier à missa ao sábado, pedimos que não volte no domingo porque uma vale pela outra.”

A saudação da paz mantém-se suspensa. Já a comunhão também vai acontecer de forma diferente:

“Cada igreja se vai adaptar às diferentes formas de dar a comunhão.

Aqui em Macedo, na Igreja de Santa Maria, no momento da comunhão, vamos fazer de forma a que não haja movimentação na igreja. Quem quiser comungar fica em pé, os que não quiserem sentam-se, e o padre e os ministros passam para distribuir a Eucaristia.

Será sempre feito na mão, sem hipótese alguma de ser na boca.”

Quanto aos funerais, a partir de agora já podem ser feitos com missa, a não ser que a pessoa faleça de Covid-19:

“Vamos fazer a missa que até agora não fazíamos. No entanto, se a pessoa falecer de Covid-19, ai a norma da Direção-Geral de Saúde determina que o corpo seja levado diretamente do hospital para o cemitério. Se não for o caso, faremos então o velório, a missa de corpo presente e o funeral.

As medidas vão ser também afixadas nas casas mortuárias e nas funerárias.”

Já quanto às Eucaristias e procissões em honra dos santos padroeiros:

“A Diocese de Bragança-Miranda aprovou que vai haver a procissão mas em outros moldes, sem ser da forma com que as pessoas estão habituadas.

Podem acontecer desde que não haja ajuntamento de pessoas e seja feita com todas as seguranças que as normas pedem.

Poderá haver procissões do género das carreatas que já fazemos na nossa Unidade Pastoral, colocando o andor do santo sobre um carro e passando pela aldeia, para não haver ajuntamento de pessoas. As pessoas poderão seguir o andor dentro dos seus carros também, sem ajuntamentos a pé, ou seja, como se fazia antes.”

Na cidade de Macedo de Cavaleiros, por enquanto, as missas vão acontecer apenas na Igreja de Santa Maria Mãe da Igreja, tendo lugar a primeira celebração com gente na segunda-feira, dia em que se celebra a padroeira da igreja, às 18h30, antecedida da reza do terço às 18h.

Nas restantes comunidades da Unidade Pastoral da Divina Misericórdia de Macedo, ou seja, em todas as aldeias do concelho (mais Castro Vicente) excepto Lamalonga, Vilarinho de Agrochão, Vilarinho do Monte, Vale da Porca, Salselas, Vinhais, Bagueixe, Morais, Talhinhas, Talhas e Lagoa, ao longo do mês de junho, as missas vão acontecer de forma campal:

“Em um primeiro momento, no mês de junho, todas as missas nas comunidades serão campais, fora da igreja.

Cada comunidade vai organizar o seu próprio espaço, seja na praça, no adro da igreja, no santuário, enfim, justamente para evitar o aglomerar de pessoas e seguindo as recomendações da Conferência Episcopal Portuguesa, que pedem que sejam valorizadas as missas em espaços abertos.”

Casamentos e batizados são permitidos mas o Padre Roberto Felipe adianta que na Unidade Pastoral da Divina Misericórdia a grande maioria dos que estavam previstos para este ano foram desmarcados:

“De todos os casamentos e batizados que tínhamos agendados até então, praticamente 80% já foram cancelados ou desmarcados, e transferidos para o próximo ano.

Isso é normal porque quem quer fazer o seu casamento ou batizado, tem sempre vontade de fazer a festa para os amigos e familiares. Tendo em conta todas estas limitações, as pessoas acham por bem transferir as cerimónias para o ano seguinte. Isto está a acontecer e é uma realidade no nosso meio.”

Suspensas continuam as comunhões e as crismas até novas indicações.

No domingo, os párocos desta Unidade Pastoral celebram a Eucaristia na aldeia do Lombo, em honra do Divino Espírito Santo, e já com permissão de entrada de pessoas. Pode também acompanhar em DIRETO na Rádio Onda Livre e Onda Livre TV ao meio-dia.

Escrito por ONDA LIVRE

Relacionados