Dois comerciantes de Macedo desmentem “boato” da internet que os ligava a infetados com Covid-19

Dois comerciantes de Macedo desmentem “boato” da internet que os ligava a infetados com Covid-19

Uma publicação numa página de Facebook chamada “Memes de Macedo de Cavaleiros” dava esta manhã conta que quatro familiares do emigrante que originou o surto de Covid-19 em Izeda, no concelho de Bragança, teriam sido vistos na tarde e noite de ontem, terça-feira, pelas ruas de Macedo de Cavaleiros, e frequentado dois estabelecimentos da cidade, nomeadamente a loja da Vodafone e o restaurante Marisqueira Novo Mariano. A mesma publicação referia ainda que ambos os espaços iriam encerrar hoje para desinfeção.

Entretanto, os proprietários dos dois os estabelecimentos já desmentiram a informação divulgada.

No caso do restaurante, a proprietária, Raquel Mariano, assegura que o estabelecimento esteve encerrado durante o dia de ontem e garante que a informação veiculada já está a criar problemas ao negócio:

“A Marisqueira fecha todas as segundas e terças-feiras, e durante o inverno até fechamos à quarta, e só por aí já se pode perceber que é uma notícia totalmente falsa.

As pessoas têm medo porque somos seres humanos e, como tal, estas coisas assustam logo. Já houve várias pessoas a ligar, já recebemos mais de meia dúzia de chamadas de pessoas com vontade de fazer reservas, mas querem saber se isto é verdade.

Esta página tem muitas visualizações e não podem fazer isto.”

Já Rui Fernandes, da loja Vodafone, também deixou saber que a informação publicada já levantou suspeitas em alguns clientes:

“Trata-se de uma notícia falsa, uma publicação enganosa que nada tem a ver com a verdade. Que nos tenhamos conhecimento, ninguém contaminado passou aqui nas imediações da loja.

Isto vai causar algum prejuízo comercial, tanto para mim como para a outra entidade.

Há pessoas que já nos estão a contactar a perguntar se as pessoas que estavam contaminadas andaram aqui nas imediações.

Temos esclarecido que se trata de uma notícia enganosa e maliciosa, com intuito de causar algum prejuízo comercial.”

Contactado, o presidente da autarquia de Macedo de Cavaleiros e responsável pela Proteção Civil local, Benjamim Rodrigues, afirma que não foi reportada qualquer informação sobre a possível presença destas pessoas na cidade de Macedo, acrescentado que, ele próprio, tem estado em contacto direto com os familiares do responsável pelo surto de Izeda, acompanhando a situação.

A publicação acabou por ser retirada ainda durante a manhã.

Desconhece-se, por enquanto, quem gere a página na rede social Facebook, que tem perto de 1000 seguidores.

Escrito por ONDA LIVRE

Leia em baixo a publicação que entretanto foi apagada:

116484942_282155562849565_5199989424790529149_n

Relacionados

Comentar