Confinamento geral entra em vigor às 00h desta sexta-feira e dura um mês. Saiba o que vai mudar

Confinamento geral entra em vigor às 00h desta sexta-feira e dura um mês. Saiba o que vai mudar

Já são conhecidas as medidas do novo confinamento geral que entra em vigor às 00h desta sexta-feira e terá a duração de um mês, anunciou esta noite o primeiro-ministro no final da reunião do Conselho de Ministros.

“Ficar em casa” é a regra fundamental para o novo confinamento que visa reduzir o número de contágios por Covid-19.

Entre as grandes novidades estão as escolas que desta vez vão manter-se abertas a funcionar em regime presencial para todos os anos.

O teletrabalho é obrigatório, sempre que possível, sem necessidade de acordo entre entidade patronal e trabalhadores. A violação desta regra passa a constituir uma contraordenação muito grave.

As coimas para quem não cumprir as imposições previstas, como o uso de máscara, passam agora para o dobro do valor.

Quanto aos estabelecimentos comerciais, tal como já aconteceu em março e abril, apenas os de bens e serviços considerados essenciais poderão permanecer abertos.

Entre as exceções estão ainda os serviços públicos, que vão funcionar mas com necessidade de marcação prévia. Desta vez os tribunais também se vão manter abertos.

Os estabelecimentos culturais encerram e as celebrações religiosas são permitidas com regras determinadas pela Direção-Geral da Saúde.

Cafés e restaurantes poderão trabalhar só em regime de take-away ou entregas ao domicílio. Ginásios, cabeleireiros e barbearias terão de encerrar. Mercearias e supermercados mantém-se abertos mas com limitações.

No desporto, Costa anunciou que as ligas profissionais e equiparadas são mantidas em atividades mas sem público.

Atividades desportivas de lazer são permitidas com as mesmas exceções do primeiro confinamento.

António Costa anunciou ainda que o conjunto de medidas económicas vão ser renovados e alargados, e todas as atividades que são encerradas terão acesso automático ao layoff simplificado.

O primeiro-ministro apelou à responsabilidade e união da população no cumprimento destas regras de forma a reduzir o crescimento da pandemia.

Escrito por ONDA LIVRE

 

Relacionados

Comentar