Académico de Mogadouro aspira apenas a manutenção

Na melhor das hipóteses, o Académico de Mogadouro vai lutar pela manutenção.
Maurício Colpas Trigo, presidente do clube, que este ano desceu à segunda divisão nacional de futsal, destaca que a situação financeira do futsal é crítica e que o Mogadouro não escapou à onda de maus momentos.
“O futsal de uma maneira geral, financeiramente, vai de mal a pior. Três equipas desistiram da 1ªdivisão,  quanto a nós, vamos lutar pela manutenção neste campeonato”.
Uma destas condições foi a não contratação de novos, por isso o presidente do Académico de Mogadouro não arrisca sequer dizer que pretende a manutenção no campeonato.
“Não temos possibilidades de esperar muito deste campeonato, pois não temos dinheiro, não estamos a contar com jogadores de alto nível, mas sim com bons jogadores da nossa região”.
Maurício Colpas Trigo acrescenta ainda que não há no Académico de Mogadouro, esta época, qualquer jogador de fora do distrito de Bragança, ao contrário das temporadas anteriores.
A aposta nas camadas jovens podem ser uma mais-valia, mas a longo prazo.
“Daqui a um ou dois anos teremos bons jogadores que vêm das camadas jovens e será uma aposta ganha para o clube”.
Apesar de ter um plantel maioritariamente jovem, alguns dos atletas estiveram na época anterior na primeira divisão.
“Sao jogadores que tiveram a presença na primeira divisão como o Bruno Pereira, o Kaká e mais alguns atletas, que nos acompanharam nesta batalha árdua”.
Maurício Colpas Trigo não espera um campeonato brilhante para o Académico de Mogadouro, que esta temporada não paga qualquer remuneração aos jogadores. A manutenção, para o presidente do Académico, será um orgulho para o clube.

Relacionados