Jazigo de ferro de Moncorvo pode começar a ser explorado este ano

A Exploração de ferro em Torre de Moncorvo pode avançar ainda este ano.

O arranque do projecto está dependente da aprovação do estudo de impacte ambiental, que foi entregue a semana passada pela Minning Technology Investments (MTI). A empresa é uma das interessadas na exploração do jazigo de ferro na Serra de Reboredo e no Cabeço da Mua e detinha já uma concessão provisória para esse aproveitamento.

A informação foi avançada  pelo presidente da Câmara Municipal de Torre de Moncorvo, Nuno Gonçalves.

reduzido 3

O autarca explica que até ser apresentado, o estudo teve de responder a diversas exigências nacionais e europeias.

reduzido 3

Numa primeira etapa, prevê-se a criação de mais de 200 postos de trabalho directos, a que acrescerão mais de 250 postos de trabalho nas fases seguintes. Estima-se ainda a criação de 800 postos de trabalho indirectos. Uma das razões que leva Nuno Gonçalves a afirmar que se trata de um projecto com um grande impacto económico.

reduzido 3

No final de Agosto será possível saber se o projecto de exploração do jazigo de ferro de Moncorvo terá luz verde do governo para avançar. A empresa, de capitais maioritariamente portugueses, prevê iniciar a produção dois anos após o licenciamento da exploração da mina.

 

Informação CIR (Rádio Brigantia)