Exploração mineira na região pode ser retomada em breve

O processo de exploração experimental das minas de Ferro de Torre de Moncorvo
está na recta final. O passo seguinte será a exploração definitiva por
parte da MTI, que está apenas dependente da aprovação do estudo de
impacte ambiental, que já entrou em consulta pública de 30 dias, a 7
de Agosto.
De acordo com Carlos Guerra, consultor de ambiente da empresa
interessada em retomar a prospecção de minério, esta é a última fase
antes da produção:

icon 2_reduzido

A empresa MTI garante que as jazidas de ferro de Moncorvo atingem 570
milhões de toneladas de minério de ferro, que será explorado ao longo
de 60 anos. O que faz dela a segunda maior da Europa:

icon 2_reduzido

A viabilidade do investimento estará garantida, tendo em conta a
limitação da extracção de ferro na Europa.
O projecto pode ter 540 postos de trabalho, ao oitavo ano de
laboração. No início, a empresa tenciona dar trabalho a 110 pessoas.
O investimento, nos primeiros 5 anos, deverá atingir os 100 milhões de euros.
A MTI mostrou também já a intenção de explorar a mina de estanho de
Ervedosa, no concelho de Vinhais, que poderá vir a ocupar 50
trabalhadores.
A viabilidade desta mina é garantida pela valorização do estanho, que
tem vindo a substituir o chumbo.

icon 2_reduzido

Neste momento, Ervedosa continua à espera da atribuição da concessão
experimental, que poderá conduzir à permissão de exploração
definitiva, nos próximos dois ou três anos.

 

INFORMAÇÃO CIR (Rádio Brigantia)