Lagar de vinho com quase 2 mil anos encontrado em Alijó

Um grupo de arqueólogos acredita ter descoberto um dos lagares de vinho mais antigos do Douro e Trás-os-Montes, datado do século I depois de Cristo, em Vale de Mir, onde há quatro anos estudam a evolução da ocupação humana no concelho de Alijó.

O arqueólogo Tony Silvino diz que o lagar faz parte de uma vila romana onde também se desenvolviam outras atividades.

reduzido 3

O investigador nasceu em França mas os seus pais são naturais de Pegarinhos, freguesia à qual pertence a aldeia de Vale de Mir.

O sonho de criança de escavar nesta região concretizou-se em 2012, ano em que arrancou o projeto de investigação sobre a “Ocupação Humana em torno da Aldeia de Pegarinhos”.

Durante a primeira campanha foram feitas sondagens num terreno junto ao castro de Vale de Mir, através das quais foram descobertas estruturas e vestígios de ocupação humana que datam de há cerca de 2500 a 1500 anos.

O projeto termina este verão, mas Tony Silvino diz que é importante restaurar e musealizar este espaço.

Informação CIR (Rádio Ansiães)