Amendoal é cultura em expansão

O amendoal é uma produção cada vez a cativar mais agricultores no concelho de Macedo de Cavaleiros.

Apesar de haver apoios para quem quiser plantar castanheiros e de a norte do concelho os soutos serem reis, o sul pode ser o local favorável para a amêndoa. Até porque é uma cultura que se depara com menos problemas atualmente, explica Domingos Barreira, presidente da direção da Cooperativa Soutos os Cavaleiros.

reduzido 3

“Todos os produtores são bem vindos. A nossa perspectiva é de que a concorrência não é má, temos é de saber tirar partido dela. Enquanto organização jovem que somos, desejávamos que houvessem mais sócios. Apoios há, além de sermos cooperativa somos organização de produtores e em termos de apoios iniciais, por exemplo, o IFAP dá uma majoração de 10% a todos os projetos que foram feitos aos nossos sócios. Neste momento, estamos a assistir a alguma aposta na amêndoa e não tanto no souto que tem mostrado algumas debilidades a nível de doenças, inclusive a da vespa do castanheiro. De qualquer forma, se houvesse mais, melhor para nós.”

É que as doenças do amendoal são mais conhecidas, continua Domingos Barreira.

reduzido 3

“A amêndoa tem algumas doenças já conhecidas. Não tão graves como as dos castanheiros porque são conhecidas e mais estudadas. A castanha é um produto de países pobres e a amêndoa de países ricos e a Califórnia investe muitos milhões de euros em investigação. Portanto, já alguém foi à nossa frente e sabe o caminho e agora só temos de acompanhá-lo.

Nessa área, a amêndoa também tem sido muito explorada, em grandes plantações, por via, mais uma vez, da desgraça dos outros porque na Califórnia fizeram o favor de esgotar as reservas de água e os incêndios dizimaram o resto e, assim sendo, o preço subiu muito aqui na Europa e nós vamos tentar tirar partido disso também.”

E na inovação vem a oportunidade. À Cooperativa Soutos os Cavaleiros pode começar a chegar mais do que castanha

reduzido 3

“Neste momento estamos preocupados em garantir a sustentabilidade da Cooperativa. Temos crescido num sentido mais técnico, somos uma organização de produtores conhecida, damos apoio técnico aos nossos cooperantes e não só, também damos na área da agricultura biológica e da produção integrada.

Temos técnicos credenciados pelo Ministério da Agricultura para proceder a esse apoio técnico. Neste momento estamos a trabalhar nesse sentido. Temos já a OP (Organização de Produtores) de frutos de casca rija, uma delas aqui de Trás-os-Montes. Temos já produtores de amêndoa, noz, pistache e avelã. Os de avelã são do concelho de Mirandela.”

A Cooperativa Soutos os Cavaleiros pode vir a receber outro tipo de frutos secos.

Escrito por ONDA LIVRE