DECO alerta para o perigos das vendas disfarçadas em rastreios de saúde

Um surto de vendas disfarçadas de rastreios de saúde gratuitos levou a DECO, Defesa do Consumir, a emitir um comunicado para alertar os consumidores.

Nos meios pequenos, os rastreios são menos frequentes, o que pode contribuir para que as pessoas adiram mais facilmente, ainda que não seja um factor tido em conta, uma vez que as reclamações, em número crescente, chegam de todos os pontos do país.

Marta Gil, jurista da DECO, explica como é que os consumidores são atraídos para estes rastreios, onde depois são alvo de práticas comerciais desleais e enganosas.

reduzido 3

Para obter de imediato uma garantia financeira, o chamado sinal, os comerciais que atuam nestes rastreios muitas vezes acompanham o potencial cliente a uma caixa multibanco para o levantamento do montante em causa. Quando não o cliente não tem possibilidades económicos, induzem-no a fazer um crédito.

Marta Gil lembra que os consumidores têm 14 dias para rescindirem o contrato.

reduzido 3

A DECO a alertar para um surto de vendas disfarçadas em rastreios de saúde gratuitos

Escrito por ONDA LIVRE