“Palito” julgado por mais crimes

Manuel “Palito” começou ontem a ser julgado por um crime de violência doméstica contra a ex-mulher, Angelina Félix, de quem estava obrigado a manter uma distância de 400 metros.

Por esta razão, responde também por um crime de imposições, proibições e interdições.

Ontem, na Secção de Proximidade de S. João da Pesqueira, Manuel “Palito”, de 62 anos, remeteu-se ao silêncio.

O caso remonta a setembro de 2013, sete meses antes de ele ter cometido os homicídios em Valongo dos Azeites.

“Palito” já havia sido condenado a quatro anos de prisão, com pena suspensa, por um crime de violência doméstica contra a ex-mulher. Por causa disso, era vigiado por pulseira eletrónica.

Mesmo assim, foi atrás da antiga companheira, de 54 anos, que tinha ido ao cemitério de Valongo dos Azeites. Houve uma troca de palavras, o arguido foi a casa, a Trevões, e regressou com uma foice. Quando Angelina Félix o viu a galgar o muro do cemitério, ligou para a GNR e tentou fugir, mas “Palito” apanhou-a e ameaçou-a de morte.

“Palito” abandonou depois o cemitério com o telemóvel de Angelina , que ficou com dores e lesões. A vítima exige agora ao arguido 20 mil euros de indemnização.

Recordo que o agricultor, natural de Trevões, foi condenado no ano passado à pena máxima de 25 anos de prisão, por em 17 de abril de 2014, em Valongo dos Azeites, ter assassinado, a tiro de caçadeira, a sogra e a tia da ex-mulher e causado ferimentos graves à filha e à antiga companheira.

Informação CIR (Rádio Ansiães)