Metro de Mirandela acaba sábado com alternativas ao comboio

A Metro de Mirandela vai suspender, a partir de sábado, os transportes alternativos ao comboio na linha do Tua.

A decisão foi comunicada pelo presidente da Câmara de Mirandela, António Branco, que atribui a responsabilidade à CP, por ter deixado de pagar em janeiro os 20 mil euros mensais de um acordo anterior, e porque o governo não avançou com uma solução para garantir o transporte.

reduzido 3

“Estamos a falar num valor que ronda os 20 mil euros/mês. Noutra altura a CP também deixou de assumir os custos, e nós acabamos por parar alguns dias.

Entretanto, nos últimos anos, foi sempre possível renovar o contrato. Recebemos uma comunicação no final do ano passado a dizer que a partir de dia 1 de janeiro seriam suspensos os pagamentos de forma definitiva. Começamos a negociar com o Governo, no sentido de encontrar uma solução. Já tínhamos negociações em curso com a IP e com a CP.

Avisei sempre que há um limite. Há um determinado momento em que nós não podemos continuar a suportar os custos de forma individualizada sem existir um compromisso, escrito, ou de outra forma.

Até lá, não vamos continuar o serviço. É uma linha pública, e, por isso, quem tem de garantir o serviço é o estado.”

As populações ribeirinhas do Tua ficam assim sem qualquer tipo de transporte público. António Branco lamenta esta situação, mas reforça que a responsabilidade é da CP e do governo.

reduzido 3

“Não há qualquer alternativa ao transporte, mas, repito, compete a quem tem que manter a alternativa pô-la a funcionar. Não podem estar à espera que seja a Metro e a Câmara de Mirandela a suportar os custos com a Linha do Tua.

Dia 7 de maio, sábado, iremos suspender os serviços ferroviários e rodoviários, a não ser que alguém, como a CP, suporte os custos.”

Este impasse pode estar relacionado com o Plano de Mobilidade do Vale do Tua e imposto à EDP, responsável pela Barragem do Tua, e que tem uma vertente de transporte turístico.

No final de 2015 foi notícia que a Douro Azul está interessada em explorar esse plano de mobilidade, mas até agora ainda não chegou a acordo com a EDP.

Apesar de a Albufeira começar a encher ainda este ano, o autarca de Mirandela salienta que até lá é preciso assegurar o transporte destas populações.

reduzido 3

“Há um plano de mobilidade para o Vale do Tua, que pressupõe uma linha turística e quotidiana. Mas ainda não está em funcionamento. Até lá, alguém tem que garantir a continuidade destes serviços. Nós fizemos um esforço muito significativo para o manter a funcionar estes 4 meses, sem ser a nossa obrigação. Havendo um novo operador, não poderá haver sobreposição de competências.”

O Presidente da Câmara de Mirandela alerta que a partir de sábado a Metro de Mirandela deixará de realizar o transporte alternativo à linha do Tua. O metro para entre Mirandela e o Cachão, e os táxis deixam de circular do Cachão até ao Tua.

Entretanto, a Secretaria de Estado das Infraestruturas agendou para hoje uma reunião, em Lisboa, com o presidente da Câmara de Mirandela, para tratar do problema dos transportes na linha do Tua, em Trás-os-Monte.

Informação CIR (Rádio Terra Quente)