PCP questiona se doações do IRS tem sido recebidas pela Associação dos Bombeiros de Macedo

O Partido Comunista Português questionou o Governo sobre se a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Macedo de Cavaleiros tem, ou não, recebido verbas referentes às doações do IRS de 0,5% a instituições sem fins lucrativos.

A pergunta surge depois da última assembleia da instituição, como explica Filipe Costa, da DORBA do PCP de Bragança.

icon 2_reduzido

“A direção foi questionada nessa assembleia sobre a ausência de verbas que dizem respeito à consignação de 0,5% do IRS. Os associados foram confrontados com o facto de desde 2013 essa transferência não ser feita para os Bombeiros. Foi desta forma que nos chegou a denúncia, e nós, com estes elementos, questionamos o governo se haviam ou não transferências realizadas, até porque esta situação poderia também estar a acontecer em outras instituições e entidades, quem sabe em outros pontos do país. A resposta que nos foi dada foi de que foram efetuadas transferências do Estado para a associação dos bombeiros, não discriminam qual o montante mas creio que seja por uma questão de sigilo fiscal, e, como tal, damos por terminado o nosso papel nesta situação na medida de que agora caberá aos sócios a resolução do problema com base na informação que existe.”

A mesma questão foi levantada na referida assembleia, em março, pelo presidente da Concelhia de Macedo de Cavaleiros do PS, e também associado da instituição.

Na pergunta enviada ao Governo, afirmar-se que o presidente da direção da associação garantiu perante os presentes, alguns deles membros do PCP, que não havia qualquer valor relativo aos donativos dos boletins de IRS. Em resposta, o Ministério das Finanças elucida que a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Macedo de Cavaleiros recebeu, efetivamente, donativos referentes às declarações de IRS entregues em 2013, 2014 e 2015.

Contactada, a direção da associação responde dizendo que os valores recebidos por via destes donativos dos contribuintes estão vertidos nas contas apresentadas aos sócios, em março, ainda que não estejam discriminados, por não se tratar de uma quantia pouco significativa. Garante ainda que está referida com exatidão do balancete contabilístico.

Escrito por ONDA LIVRE