Hospital de Chaves adere em força à greve dos trabalhadores da saúde

Hoje, dia de greve nacional dos trabalhadores da saúde.

No Hospital de Chaves, a adesão está entre os 90 a 100%. No Hospital de Bragança anda na casa dos 70%. Em Macedo de Cavaleiros, baixa adesão a esta paralisação.

Dados avançados há minutos por Orlando Gonçalves, do Sindicato dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais do Norte.

reduzido 3

“No Hospital de Bragança, os blocos operatórios estão encerrados, estando apenas a funcionar a urgência, em serviços mínimos, com uma adesão à greve razoável, na casa dos 70%.

No Hospital de Chaves, adesão total, com os blocos operatórios encerrados, só a funcionar os serviços mínimos, a Consulta Externa está 100% encerrada, e as enfermarias estão em serviços mínimos. Uma adesão entre os 90 a 100%.

Em Macedo de Cavaleiros, a adesão é pontual. Não se fizeram sentir grandes efeitos da greve.”

As reivindicações desta greve são a redução do horário de todos os funcionários para as 35 horas semanais, o ajuste da remuneração das horas extra e a admissão de trabalhadores.

A greve está a corresponder às expectativas na região.

reduzido 3

“À excepção de Macedo de Cavaleiros, onde esperávamos um pouco mais. Mas em Chaves, não superou as nossas expectativas, não poderia ser melhor. Assim como em Bragança.

A greve começou às 20h, hora da primeira mudança do turno da noite. Fez-se sentir mais pela manhã, às 8h, com a nova mudança de turnos.”

Os primeiros números da paralisação dos trabalhadores da saúde, referentes aos turnos da noite e ao primeiro do dia de hoje.

O Sindicato dos Trabalhadores da Administração Pública e de Entidades com Fins Público (SINTAP) mostrou apoio a esta greve, e convocou mais um dia. Para amanhã o Sindicato dos Enfermeiros Portugueses tem um pré-aviso de greve. O que significa que os profissionais de saúde podem optar por aderir aos dois dias deparalisação.

Escrito por ONDA LIVRE