Ministro do Ambiente disse que resíduos começam a sair do Cachão segunda-feira, mas António Branco desconhece a decisão

O ministro do Ambiente informou esta semana que as autarquias de Mirandela e Vila Flor vão iniciar, na próxima segunda-feira o processo para remover os resíduos de papel e plástico prensado que continuam por retirar, dos escombros de um armazém do complexo do Cachão, após um incêndio registado, em fevereiro deste ano.

Uma indicação que o presidente do Município de Mirandela diz desconhecer, apesar de revelar que está aberto a uma solução conjunta para resolver o problema.

O presidente do Município de Mirandela diz desconhecer a informação prestada pelo Ministro do Ambiente no Parlamento, de que a sua autarquia e a de Vila Flor vão começar com a remoção dos resíduos do complexo do Cachão, na próxima segunda-feira.

O titular da pasta do ambiente, João Matos Fernandes, avançou que as autarquias de Mirandela e Vila Flor vão iniciar, na próxima segunda-feira, o processo de remoção dos resíduos.

Uma informação avançada, esta terça-feira, na comissão parlamentar de ambiente, em resposta a uma questão colocada pelo deputado do Bloco de Esquerda, Pedro Soares, depois de ter visitado o local, no início deste mês e verificado que os resíduos estavam em “combustão lenta desde fevereiro”.

No entanto, o presidente do município de Mirandela diz desconhecer esta informação avançada pelo Ministro do Ambiente. António Branco apenas refere que o proprietário da empresa tem vindo a remover alguns dos resíduos, se bem que de uma forma lenta.

António Branco diz não ter qualquer indicação do Ministério do Ambiente para que os resíduos que ainda se encontram no complexo do Cachão, resultantes do incêndio de Fevereiro deste ano, venham a ser retirados a partir de segunda-feira, ao contrário do que foi avançado pelo Ministro da tutela, na comissão parlamentar de ambiente, na Assembleia da República.

No entanto, a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte esclarece que a intervenção do Ministro do Ambiente na “Comissão de Ambiente” terça-feira, “teve por base a informação recolhida pela CCDR-N junto do Vereador da Câmara Municipal de Mirandela, Manuel Rodrigues”, com os pelouros de Ordenamento do Território e Urbanismo e Ambiente, sendo ainda responsável na empresa intermunicipal AIN- Agro Industrial do Cachão”.

A CCDRN explica que “de acordo com a informação transmitida, as Câmaras Municipais de Mirandela e de Vila Flor, na qualidade de sócias da Agro-Industrial do Cachão, sinalizaram o problema, decidindo esta empresa intermunicipal substituir-se à MIRAPAPEL na remoção dos resíduos”.

No esclarecimento enviado por email à CIR, a CCDRN clarifica que o mesmo responsável adiantou “que esta acção estaria em decurso com os devidos processos de notificação a decorrerem, estimando-se que a intervenção principiasse no início da próxima semana”.

Os presidentes dos municípios de Mirandela e Vila Flor estiveram esta manhã reunidos com a Comissão de Coordenação, para discutir este assunto.

 

Informação CIR (Rádio Terra Quente e Rádio Brigantia)