Autarquia de Vila Real pede fiscalização para acabar com descargas poluentes no Rio Corgo

De vez em quando, o Rio Corgo, em Vila Real, apresenta sinais de poluição temporários, com alteração da cor e do cheiro. Situações que levaram já a autarquia de Vila Real a pedir a intervenção das autoridades de fiscalização a fim de ser encontrado o autor das descargas indevidas para o leito do Corgo.  

Rui Santos, presidente da Câmara de Vila Real, lamenta que haja ainda falta de civismo em relação à forma como certas pessoas tratam o rio. 

“Infelizmente, ainda há muita gente a quem o bem comum e o civismo lhes é estranho e, em determinados períodos do ano ,vão continuando a fazer descargas ilegais no rio Corgo. O rio Corgo não é de Vila Real, é um troço que ultrapassa vários concelhos, está sobre a supervisão da Agência Portuguesa do Ambiente, e quem fiscaliza essas descargas ilegais é o SEPNA. Nós temos insistido para que haja uma vigilância e uma penalização para aqueles que fazem essas descargas ilegais. Isto é, infelizmente, tudo o que podemos fazer pois não é uma área da competência das autarquias. “

A autarquia de Vila Real já solicitou a intervenção do SEPNA da GNR para que investigue a proveniência das descargas poluentes e consequente fiscalização.

Foto: Direitos Reservados (Município de Vila Real)

INFORMAÇÃO CIR (Universidade FM)