Cabo Verde vai ter extensão do Centro de Investigação do IPB

Vai ser criada em Cabo Verde uma extensão do Centro de Investigação de Montanha do Instituto Politécnico de Bragança.

O centro de investigação vai nascer na Universidade de Cabo Verde com o objectivo de desenvolver investigação no sector agro-alimentar. Com esta nova infraestrutura pretende-se criar cadeias de valor e desenvolver temas científicos com impacto local e internacional destaca o presidente do IPB, Orlando Rodrigues:

“Pretende-se instalar em Cabo Verde um centro de investigação irmão do nosso, que ficará dedicado a estudar os recursos naturais de Cabo Verde e as possibilidades de serem aproveitados para produtos de elevado valor acrescentado, apoiar o desenvolvimento da agricultura em Cabo Verde, enfim, todos esses objetivos. Existem agora condições para instalar esse centro através de financiamentos Europeus que em breve serão disponibilizados para Cabo Verde.”

O Instituto Politécnico de Bragança terá um papel fundamental na criação deste centro de investigação, quer na fase de instalação quer posteriormente na cooperação científica:

“O Centro vai ser criado com o nosso apoio e orientação científica, com a ajuda dos nossos investigadores que se deslocarão lá para ajudar na fase de instalação e escolha dos equipamentos, linhas de investigação, etc. Haverá um apoio muito estreito da nossa parte e espera-se que os investigadores que se venham a instalar em Cabo Verde que tenham uma grande relação e cooperação connosco.”

Actualmente, 700 alunos cabo-verdianos estudam no IPB. Um dos objectivos do projecto é que os estudantes formados em Bragança possam prosseguir investigação científica na terra natal:

“Somos uma instituição muito considerada em Cabo Verde e entendemos que temos obrigação de realizar atividades de apoio ao desenvolvimento de Cabo Verde. Por outro lado, há muitos alunos nossos, Cabo-Verdianos, que fizeram todo o seu percurso académico aqui. Queremos apoiar o desenvolvimento científico aproveitando os alunos que já fizeram aqui o seu trajeto de estudo e querem regressar ao seu país.” 

 O protocolo foi assinado a semana passada na cidade da Praia, Cabo Verde, e espera-se que dentro de 3 meses sejam dados os primeiros passos na criação deste braço do CIMO naquele país africano.

Foto: Rádio Brigantia

INFORMAÇÃO CIR (Rádio Brigantia)